Mediunidade comprovada com a comunicação com mortos em Tribunal EUA

30 07 2010

No vídeo abaixo temos o relato do canal Discovery Channel onde uma médium auxilia a família de um desaparecido a solucionar o drama.

http://video.br.msn.com/watch/video/investigadores-psiquicos-desaparecido/ru65kacp

Para quem é Espírita não existe novidade nesse caso, até mesmo psicografia de Chico Xavier já foi utilizada na solução de um caso no Brasil.

Contudo para quem não é Espírita e ainda está preso a imagem simbólica do “Céu e Inferno” é um grande convite ao estudo da Codificação Espírita – a qual explica, ensina e revela toda a existência de um mundo, o nosso verdadeiro mundo – o Plano Espiritual.

Infelizmente através de um caso de grave de assassinado foi demonstrado o dom da mediunidade em tribunal americano. Igualmente infeliz é a quantidade de pessoas que se passam por médiuns para cobrar por serviços ou vidências falsas.

Assim venho por meio dessa dar alguns conselhos a quem pretende utilizar-se de serviços de médiuns ou necessita de amparo espiritual:

1) Qualquer pessoa de qualquer religião ou crença pode ser um médium.

2) O médium entra em contato com espíritos que se identifiquem com sua moral e situação psíquica daquele momento. Chama-se sintonia espiritual.

3) Por isso existe a recomendação de que os médiuns entrem em contato com os espíritos dentro de uma Casa Espírita e com o suporte espiritual daquele ambiente de paz protegido de interferências.

4) O médium espírita nunca cobra por nada. A Casa Espírita nunca cobra por nada. A Doutrina Espírita e suas obras são todas formadas por trabalhadores voluntários, médiuns voluntários, dirigentes voluntários.

5) “O médium somente deve dar aos serviços da Doutrina a cota de tempo de que possa dispor, entre os labores sagrados do pão de cada dia e o cumprimento dos seus elevados deveres familiares. A execução dessas obrigações é sagrada e urge não cair no declive das situações parasitárias, ou do fanatismo religioso” (Emmanuel, 1940). Assim o bom médium não vive da mediunidade, da doação ou cobrança pela mediunidade, mas possui trabalho e renda própria e doa seu tempo extra para a caridade mediúnica.

6) O Espiritismo é a ciência que estuda os fenômenos dos espíritos e do plano espiritual. O Médium que se ampara em seus conhecimentos vindo dos próprios espíritos alcançam bases sólidas de caminho na luz do conhecimento cristão.

Assim antes de mais nada devemos procurar sempre auxílio espiritual em Casas Espíritas de preferência filiadas a Federação Espírita Brasileira. E mais do que isso devemos nos aprofundar nos ensinamentos enviados pelos Espíritos para que possamos transformar essa nossa passagem por esse nosso corpo físico em verdadeira oportunidade de crescimento interior.

Assim Seja.





Ressuscitar ou Reencarnar ? Ambos.

25 07 2010

Ressuscitar antes, Jesus provou, agora temos condições intelectuais e espirituais suficientes para entender o termo reencarnar. Vejamos:

reencarnar re-encarnar   – v. tr.
Fazer entrar uma alma num corpo, que não era o que ocupava numa existência anterior.

ressuscitar – v. tr.
1. Fazer voltar da morte à vida.
2. Fig. Restaurar, fazer reviver.
v. intr.
3. Voltar da morte à vida; ressurgir.
4. Aparecer novamente.
5. Por ext. Restabelecer-se de uma doença muito grave.
6. Escapar a um perigo mortal.

Há um pouco mais de 2000 anos atrás Jesus veio ensinar a humanidade as noções de amor e vida. Mas como transmitir ensinamentos tão elevados para uma humanidade ainda sem conhecimentos intelectuais desenvolvidos, com uma ciência ainda encoberta?

Da melhor maneira o Mestre através de parábolas transmitiu toda sua mensagem de amor, com didática única, em assuntos transversais, pedagogia atualíssima – sempre vinculando seus ensinamentos com as realidades das pessoas ali atentas às suas palavras.

Podemos comprovar isso na linda parábola do Semeador, onde as sementes caíam ao longo do caminho, no espinho, nas pedras e na terra fértil e assim ensinou de forma perfeita uma lição de amor com a realidade daquele povo. Todos sabiam da natureza do plantio e portanto aprenderam com facilidade aquela mensagem de vida.

Assim Jesus ensina também que todos nós somos espíritos em um corpo físico, a morada de Deus. Provisória até a morte para a ressurreição. Mas nenhuma parábola seria capaz de transmitir algo tão profundo como a vida após a morte. E Jesus anunciou – Serei morto e ressuscitarei ! – todos perplexos não sabiam o que pensar. Como provar que nosso espírito ainda vive após a morte?

E Jesus na sua maior lição ressuscitou no terceiro dia provando a Thomé que o tocasse sua mão para ver que realmente era ele.

“Felizes os que nunca me viram e acreditam !”

Contudo como Jesus iria ensinar ainda que além do espírito viver após a morte do corpo físico também pode reencarnar nascendo novamente em um novo corpo para quitar dívidas e passar por novas provas morais?

Não provou isso naquele momento mas informou que iria enviar para a humanidade o consolador e prometeu que viria para transmitir toda as verdades de forma direta, sem parábolas.

Assim nos envia o Espiritismo em 1856- a mensagem do Espírito da Verdade para que todos nós – com todo nosso conhecimento científico de nossa atualidade – possamos aprender sua última e completa lição.

Mesmo assim enquanto ainda em corpo físico na Terra Jesus nos revela nas passagens abaixo nos dando pistas que a reencarnação é um fato:

“Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda a verdade, porque não falará por si mesmo, mas dirá o que ouvir, e anunciar-vos-á as coisas que virão.” (João, 16,5)

“…e os que praticaram o bem irão para a ressurreição da vida, e aqueles que praticaram o mal, ressuscitarão para serem condenados.” João 5,29

Que possamos a cada dia, aprender mais as lições de nosso Mestre Jesus, entrando em contato com a Obra Espirita – O Livro dos Espíritos, O Evangelho Segundo o Espiritismo e todas as outras mensagens codificadas por Allan Kardec.

Que assim seja.

No vídeo abaixo temos o caso nos EUA que está em muita evidência no momento no Brasil por finalmente lançarem o livro do caso traduzido. Foi o caso de um garoto que lembrou de toda sua vida anterior e os pais comprovaram.





Enfoque Espiritual diante de um Doente Terminal

8 07 2010

Orações

Estar diante de um doente terminal é uma situação muito difícil para todos. Sendo membro da família torna-se mais difícil ainda pela grande emoção que cerca a todos.

O conhecimento do pós-morte para quem é Espírita e estuda a Doutrina Espírita certamente é um grande consolo ao explicar em detalhes que toda dor, sofrimento será benéfico para o Espírito. Obviamente contra a eutanásia, devemos ter a dor e o sofrimento como expiação e lapidação do espírito, como um verdadeiro salão de beleza preparatório para a libertação espiritual. No livro “Quem tem medo da morte” de Richard Simonetti temos um grande resumo de todas essas questões.

Contudo, como nós Espíritas devemos nos comportar e atuar diante de um doente terminal, principalmente se a pessoa não tiver conhecimento espiritual?

São questões que estão me cercando ultimamente por justamente estar vivenciando uma situação desse tipo. Por mais certeza que temos na fé raciocinada nos ensinamentos e relatos do plano espiritual a emoção da despedida próxima é grande.

O silêncio é profundo e muitas vezes um aperto de mão e um olhar presente pode significar muito mais que palavras.

É uma situação que me lembra muito o livro “Nosso Lar” onde o Espírito de André Luiz acaba de chegar ao plano espiritual após morte prematura. A escuridão inicial e um ambiente hostil será certamente o início espiritual de muitos! E diante dessa imagem gosto muito das palavras de Emmanuel em relação a fé na oração psicografando que “num ambiente escuro basta a chama de uma pequena vela para afastar a escuridão”.

Assim em momentos apropriados um incentivo moral de fé acredito ser bastante acolhedor ao paciente terminal como

“Onde quer que esteja pense em Deus, ore por Deus e ele virá!”

“Basta uma chama de uma vela para afastar a escuridão ! E essa vela é seu pensamento em oração e fé em Deus!”

Com o paciente terminal com a memória e capacidade mental boa certamente ouvi-lo e estar por perto já pode ser uma grande caridade e ajuda.

E unida a palavras de incentivo e fé, caso questionados podemos revelar mais informações das revelações espíritas caso seja o caso, com bastante cautela para não apresentar outro tipo de interpretação.

Como aquela criança que irá para o seu primeiro dia de aula sozinha – o paciente terminal apresenta muitas dúvidas sobre para onde está indo. E toda dúvida é produtora do medo que certamente atormenta e afeta o psicológico. Depressão é fácil acontecimento.

Por isso a pessoa que acompanha o doente terminal deve ser geradora de fé, certeza e confiança em Deus para irradiar esse sentimento. E todos devemos nos esforçar para que a todo minuto de despedida em vida – seja baseada em sentimentos de confiança e fé calcada na certeza da vida após morte independente do conhecimento que o doente possua.

Irradiemos nossa certeza na vida futura para ele. Oremos ao espírito protetor e aos benfeitores espirituais que irão atende-lo com nossa certeza Espírita. Sejamos sinceros com a fé raciocinada que nossa verdadeira vida está no plano espiritual. Vibremos fé, amor e carinho não apenas para o paciente, mas também para aqueles que estão o acompanhando dia e noite em plantão, muitas vezes apenas pelo verdadeiro amor.

Um dia todos estaremos lá.