A rebeldia já não é mais a mesma

16 11 2012

Antigamente o carinha pra ser rebelde ouvia punk-rock, cortava a manga da camisa, enchia a cara de cachaça com sprite e fumava uns cigarros curtindo as baladas.

Os mais revoltados aderiam ao movimento “anarquia” quebrando coisas e fumando um bagulho.

Depois de passar a fase da rebeldia juvenil, encontrando-se a si mesmo em uma das esquinas da vida, com o tempo facilmente uma mudança era alcançada –  após a exigência de horários de trabalho e outras responsabilidades adquiridas.

O ex-revoltado conseguia parar de fumar, passava a beber socialmente um chopinho-pizza-namorada, e drogas jamais. O organismo prejudicado com os excessos do passado conseguia se recompor.

Assim a rebeldia era algo difícil de se vivenciar, pois muitos problemas surgem na juventude, questões afloraram, problemas, novidades afetivas, tudo se mistura num turbilhão de emoções, ideias e ações. Contudo a reversão era fácil.

Nos dias atuais a situação não é mais a mesma. As facilidades estão por todo lado. As bebidas são de acesso muito mais fácil, oferecidas e adquiridas por crianças em qualquer mercearia. As drogas são muito mais potentes e de dependência orgânica quase que imediata causando um grande dano mental.

Essa combinação leva os jovens facilmente a promiscuidade e doenças incuráveis. O mal está de imediato consumindo o futuro ser humano.

As festas, independente de qual classe social, são verdadeiros bordeis onde presenciamos cenas obscenas numa multidão de seres jovens se movimentando como verdadeiros fantoches de espíritos obsessores vampirizando suas energias.

Diante de tudo isso tenho uma revelação bombástica. Percebo que os valores mudaram de tal maneira que a rebeldia de hoje já não é mais a mesma…

Na realidade o verdadeiro rebelde de hoje em dia não é mais aquele carinha agressivo, bebendo horrores em todas as baladas noturnas, não mesmo. Essa figura no estilo “curtindo a vida a doidado” pregando anarquia e falsa liberdade na realidade é o jovem comum.

Revoltado mesmo, doidaço mesmo é aquele jovem tranquilo, com alguns livros debaixo do braço, sem olheiras ao redor dos olhos, tomando um suco e cantarolando uma musiquinha enquanto anda na busca de sua independência financeira através de seus próprios méritos vocacionais…

————————– // —————————-

Dessa forma acredito que o jovem precisa a cada dia mais do conhecimento espiritual para saber onde ele está pisando a cada etapa de sua vida. Sabendo questões básicas como “quem somos”, “de onde vimos” e “para onde vamos” o jovem terá meios de avaliar melhor suas ações e as reações delas.

No mundo atual, já não temos mais condições de errar. E toda a obra da Doutrina Espírita está a nosso dispor, composta de livros psicografados e codificados por Allan Kardec em uma ordem brilhante.

Ter construído no interior de cada criança informações de amor próprio e ao próximo é essencial para que no futuro ela saiba mesmo sob influências negativas sobrepor sua vontade a dizer não as drogas, não aos modismos fúteis, não ao mundo e sim para a vida.

Abaixo um vídeo sobre Espiritismo, a terceira revelação – ferramenta maior de autoconhecimento.

Artigo relacionado:

https://joanadarc.wordpress.com/2009/12/25/a-certeza-de-galileu-e-o-espiritismo/

Anúncios




Perseguições x Conforto Tecnológico

11 11 2012

Na época que o Messias esteve na Terra para divulgar sua mensagem de amor ao próximo incondicionalmente, muitos dos primeiros cristãos foram perseguidos, presos e mortos. Dedicar um tempo de suas vidas para a caridade cristã era tarefa perigosa. Mas muitos pela fé viva em Jesus corriam o risco.

As primeiras Igrejas eram as casas das pessoas que se ofereciam a causa cristã. Os estudos do Evangelho – em pergaminhos copiados de mão em mão – eram feitos por pessoas que arriscavam suas vidas em nome de Jesus.

Nos dias atuais as perseguições já não existem, a liberdade e democracia garantem a prática de religiões diversas. Contudo existe algo terrível que nos prendem ao nosso egoísmo nos cáreceres privados:  o conforto do lar.

Sim o conforto do lar, a televisão com sua programação de fim de semana, a diversão nos bares entre conversas fúteis, os passeios nos shopping centers em horas intermináveis chegando a dedicação exclusiva.

Sem falar no video-game que desde cedo já conquista crianças e jovens para a vivência em um mundo de faz de conta.

A ação na caridade ou na divulgação das Leis da Vida, revelada por Jesus, são em muito dificultadas pelas facilidades da vida.

Devemos assim refletir um pouco em nossa própria vida, em nossas próprias ações diárias e hábitos para saber para onde estamos nos dirigindo. O destino está em nossas mãos. Matar o tempo é algo simples e muitas vezes divertido, mas a pergunta diária que devemos nos questionar é justamente o que estamos produzindo com nossas ações presentes…

Dessa forma podemos acender uma luz no futuro e criar cenários com as ações que estamos produzindo habitualmente.

A vida por mais que parece longa e entediante muitas vezes, na realidade é bem curta e passageira. Curtir a vida pode ser um grande equivoco espiritulamente falando.

Uma das piores atitudes que o homem pode ter é ficar em cima do muro, esperando o tempo passar. Estacionado o espírito transforma-se em frágil vítima de mentores infelizes no convite a derrota e sofrimento fantasiadas de sensações, viagens e diversões passageiras.

Nosso mestre Jesus a todo instante nos convida a não nos prendermos aos bens materiais e sensações efêmeras, mas buscar sim o verdadeiro tesouro que devemos construir no Céu, ou seja, que está na ação com a caridade, estudo no conhecimento da vida e amor ao próximo.

Amai-vos ! Jesus já nos disse, contudo devemos nos instruir para alcançar um mínimo de consciência crítica para vencermos a nós mesmos em dias tão difíceis.

E com essa missão de instrução, temos a nossa disposição a codificação Espírita, o consolador prometido por Jesus para nossa reforma íntima.

Bons estudos.