Casa mal assombrada: O Espiritismo Explica !

13 03 2015
Casa das Irmãs Fox

Casa das Irmãs Fox

O Início

Uma das situações que fazem as pessoas terem preconceito em relação a Doutrina Espírita é a questão do medo de assombração. Ou do receito em ver um “espírito” ou em não deixar os mortos descansar, ou até mesmo, apenas pronunciar a palavra “morte” outras ficam de mal humor.

Mas os fatos do mundo espiritual estão presentes diariamente em nossas vidas através dos espíritos protetores e de toda a influência que surgem em nossos pensamentos! E na maioria das vezes nem nos damos conta dessa influência. Saiba que muitos pensamentos em nossa mente – não são nossos – mas na realidade são produzidos por espíritos.

Além do mais, os fenômenos espíritas são cada vez mais aceitos pela sociedade, principalmente no Brasil, onde através de médiuns de muita bondade, como Chico Xavier, no início, e agora outros tantos ilustres, nos trazem mensagens de conforto e revelações importantes para nossa melhora íntima – que é o objetivo da Doutrina.

E finalmente, um dia também seremos apenas espíritos, sem o corpo físico, é um fato.

Não é fácil entender tudo isso, mas pelo menos nesse artigo abordaremos o tema “assombração”  e assim podermos começar a substituir o sentimento de preconceito e medo do assunto pelo conhecimento dos fatos, e assim saber o que é realidade ou mentira e os porquês.

O próprio começo da própria Doutrina Espírita foi no intuito de estudar os fenômenos tidos como sobrenaturais que aconteciam em Paris, como o caso das Irmãs Fox e as mesas girantes, onde Allan Kardec começou sua pesquisa científica, como podemos assistir no vídeo abaixo seus apontamentos iniciais.

Dessa forma Allan Kardec pode constatar que tais fenômenos eram causadas por espíritos tentando se comunicar. Iniciando-se assim a Codificação da Doutrina Espírita e todo seu estudo dos fatos, baseado na metodologia científica da observação, repetição e constatação.

Casas Mal Assombradas – Meus Apontamentos

Pré-requisitos:

O que posso explicar sobre o assunto, baseado em tudo que estudei até agora, é bem detalhado na Codificação de Allan Kardec “Livro dos Médiuns” onde relata todas as possibilidades de mediunidade (contato de espíritos com o mundo material). É uma leitura essencial para entender todas as possibilidades naturais inexplicadas, ainda, pela ciência.

A existência dos espíritos entre nós é uma realidade. Se ainda tem dúvida quanto a isso seria interessante ler a obra básica “Livro dos Espíritos” e ainda assistir as vídeo aulas sobre iniciação ao Espiritismo no link abaixo.

http://www.tvespirita.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12:teste&catid=4:cursos&Itemid=5

Agora se quer saber por que eles ficam perambulando por aqui e não vão para o “Céu” ou “Inferno” já é uma questão mais profunda. Caso queiram investigar essa questão aconselho o livro “Céu e Inferno” de Allan Kardec.

Meus Apontamentos

Mas voltando ao assunto, vamos a definição: Casas mal assombradas são ambientes onde existem a presença de espíritos desencarnados e tais espíritos conseguem influenciar fisicamente objetos, criar a sensação de “tato” físico além da produção da mais variada forma de interferência no ambiente.  Em casos mais raros o espírito pode se materializar e tornar-se visível.

Contudo os espíritos para conseguirem atuar no meio material é necessário que eles se utilizem da “energia” de um ser material, ou melhor, de uma pessoa viva (encarnada). Dificilmente há casas mal assombradas onde não há pessoas “vivas”. Sem elas não há doação dessa energia, que no Espiritismo chama-se de Fluido. E não é qualquer pessoa que consegue esse feito. Na Doutrina Espírita chamamos de médiuns, as pessoas capazes de produzir tais fenômenos.

Contudo, pode ocorrer de um apartamento vizinho ter uma pessoa com mediunidade e assim estar produzindo fenômenos em outro apartamento ao lado, onde não há nenhum médium. Tudo isso é possível.

A situação é mais complicada para a pessoa (viva) que é médium. Nesse caso, onde quer que ela esteja, essa pessoa poderá ver espíritos, vultos, efeitos físicos, vozes e tudo mais a todo instante. Se conhece alguém assim, escrevi um artigo sobre isso, antes de chamarem-a de louca, peça pra ler, acredito que irá ajudar :

https://joanadarc.wordpress.com/2008/06/06/sexto-sentido-loucura-de-quem-ve-e-escuta-espiritos-sem-conhecer-o-espiritismo/

Dessa forma existem realmente Casas mal assombradas de verdade! Mas não há nada de fantástico nisso – são fenômenos da natureza ainda não explicados pela ciência – que ainda engatinha nos conhecimentos do plano espiritual.

Logicamente que há muita fraude. A pessoa que estudou o “Livro dos Médiuns” consegue uma boa base teórica para distinguir o que é falso.

O assunto é emocionante e somente a Doutrina Espírita, através das revelações dos próprios espíritos, em psicografia, fornece material para tais explicações. Facilmente pode-se estudar tais assuntos pelos livros indicados e ainda pelas psicografias de Chico Xavier em suas mais de quatrocentas obras.

No vídeo abaixo temos o assunto tratado em forma de entrevista com mais detalhes.

No Link abaixo, trato a questão da pessoa que é médium, e como é importante tais pessoas buscarem o apoio da Doutrina Espírita e Grupos Espíritas para seu próprio equilíbrio:

https://joanadarc.wordpress.com/2008/06/06/sexto-sentido-loucura-de-quem-ve-e-escuta-espiritos-sem-conhecer-o-espiritismo/

Casa mal assombrada na visão espírita, uma referência:

http://grupoallankardec.blogspot.com.br/2012/08/casa-mal-assombrada-na-visao-espirita.html

Bons estudos !

 


Ações

Informação

3 responses

11 10 2017
Isabela

Assombrada caps fantasma

19 04 2020
A voz no deserto

O Espírita não conhece e não acredita na Bíblia Sagrada
Os doutrinadores espíritas, fazendo uso de uma linguagem reverente, citam textos bíblicos na ânsia de provar que a doutrina espírita encontra apoio na Bíblia Sagrada, iludindo quem não conhece a Palavra de Deus, fazendo-as acreditar que o espiritismo faz parte do cristianismo. O que é uma grande mentira!

No entanto, negam imediatamente que a Bíblia é um livro inspirado por Deus e rotulam-na como velha e ultrapassada, quando alguém cita um, ou alguns dos muitos textos bíblicos que condenam as práticas espíritas e a sua doutrina. Pergunto eu, e acho que todos se deveriam perguntar:
_ Qual será o objectivo desta tentativa de “usar a Bíblia quando parece conveniente” e de a descredibilizar “quando denuncia”? Será humano, ou espiritual?

Jamais haverá igualdade ou paralelismo entre “doutrinas” brâmanes, hindus, budistas, espíritas e demais correntes, frutos da criação da limitada mente humana, com as revelações contidas nas palavras do próprio Deus, Único e Verdadeiro, através da Bíblia.

Sabemos porém, que existem espíritas sinceros que, entregues inocentemente a essas práticas, supõem estar a obedecer à vontade de Deus e a observar os seus mandamentos, quando, na realidade, estão a negar o próprio Deus e desprezar o Seu amor, a Sua Misericórdia e a Sua Maravilhosa Graça. São pessoas enganadas e iludidas, pois supõem que, durante todo o seu trabalho como codificador do espiritismo Kardec respeitou a autoridade da Bíblia como a expressão da Palavra de Deus, o que de facto não aconteceu. Eis o que escreveram e ainda hoje pregam as expressões máximas do espiritismo:

1_ Página 87 do livro “A Gênese”, diz Kardec:
“A Bíblia, evidentemente, encerra fatos que a razão, desenvolvida pela ciência, não poderia hoje aceitar e outros que parecem estranhos e derivam de costumes que já não são nossos.”

2_ Página 308 do livro “Obras Póstumas”, Kardec ainda ratifica:
“O espiritismo é a única tradição verdadeiramente cristã e a única verdadeiramente divina e humana.”

Estas afirmações muito para além de serem uma grande heresia, são uma afronta a Deus! Como podem ser verdade, se o espiritismo nega a inspiração das Sagradas Escrituras, a Santíssima Trindade, a Divindade de Jesus como Filho Único de Deus, a possibilidade de perdão dos pecados, a existência de Céu e Inferno, o juízo Final, a Ressurreição e outras verdades bíblicas?

Para as pessoas incrédulas, que não conhecem as Escrituras, é “mais fácil” tornarem-se espíritas, pois o espiritismo torna as coisas mais fáceis e cómodas ao ensinar que Deus não criou o homem à sua imagem, mas sim uma multidão de espíritos atrasados, imperfeitos e necessitados de “evolução” (teoria de Darwin) e não de Salvação (Graça de Deus), negando assim o texto bíblico do livro de Génesis 1:27 e o sacrifício de Jesus Cristo na cruz do Calvário como redentor. Através da “reencarnação” (que não existe),o espiritismo mostra uma estrada repleta de chances para todos se aperfeiçoarem e “apagarem” as más acções cometidas em existências anteriores”. Sobre esta mentira, a Bíblia diz:

“O deus deste século (Satanás) cegou o entendimento dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a Luz do Evangelho da Glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.” (2 Coríntios 4: 4)

3 _ No livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, Kardec, depois de declarar que os dez mandamentos são de carácter divino por pertencerem a todos os tempos e países – e só por este motivo seriam divinos! – nega a inspiração divina do Pentateuco, afirmando sobre o restante dos escritos mosaicos: “Todas as outras leis que Moisés decretou, obrigado que seria a conter, pelo temor, um povo, em seu natural, turbulento e indisciplinado só a idéia de um Deus terrível para impressionar criaturas ignorantes […]” (FEB, edição de 1979, págs. 56 e 57)
Será que as opiniões blasfemas e irreverentes de Allan Kardec sobre a Bíblia nos levam a acreditar que ele realmente acreditava em Deus? Eu respondo que não.

4 _ Também no livro “A Gênese”, pág. 386, Kardec ataca também os evangelistas (escritores dos Evangelhos), afirmando que eles “ter-se-ão possivelmente enganado, quanto ao sentido das palavras de Jesus, ou dado interpretação falsa aos seus pensamentos… ”

5 _ No livro “À Margem do Espiritismo” (FEB, 3ª edição, 1981, pág. 214), do espírita Carlos Imbassahy, fundador da corrente Paganizante, do Kardecismo, lemos:

“Nem a Bíblia prova coisa nenhuma, nem temos a Bíblia como probante. O espiritismo não é um ramo do cristianismo como as demais seitas cristãs. Não aceita os seus princípios nas Escrituras. Não rodopia junto à Bíblia. A discussão, no terreno em que se acha, seria ótima com católicos, visto como católicos e protestantes baseiam seus ensinamentos nas escrituras. Mas a nossa base é o ensino dos espíritos, daí o nome espiritismo.”

Este é um espírita autêntico, pois tem consciência do seu paganismo, do seu ateísmo, e assim assume a sua postura, que é a verdadeira postura de todo o espírita contrária a todo e qualquer ensinamento Bíblico, pois ignora o poder de Deus e a sua infinita misericórdia.

Na França, León Denis, sucessor de Kardec na continuação e divulgação das suas idéias, escreveu vários livros, dentre eles, o “Cristianismo e Espiritismo” muito lido e apreciado pelos espíritas. De salientar que este doutrinador espírita francês, recebeu por suas publicações, o título de “o filósofo inconfundível do espiritismo”.
Eis o que ele escreveu em “Cristianismo e Espiritismo” na 5ª edição, pág. 130:

“A Bíblia não pode ser considerada produto da inspiração divina.” Ela é “de origem puramente humana, semeada de ficções e alegorias, sob as quais o pensamento filosófico se dissimula e desaparece ao mais das vezes.”

6 _ Eis o que foi publicado pela FEB – Federação Espírita Brasileira – através do seu órgão oficial “O Reformador” no fascículo de janeiro de 1953, na página 13, sobre a Bíblia:

“Do Velho Testamento, já nos é recomendado somente o Decálogo, e do Novo Testamento apenas a moral de Jesus; já consideramos de valor secundário, ou revogado e sem valor algum, mais de 90% do texto da Bíblia.”

É esta a seita que muitos doutrinadores apelidam de cristã, a qual seria “simplesmente a volta ao cristianismo primitivo , sob as mais precisas formas”, conforme afirmaram Kardec e vários dos seus continuadores? Os espíritas deveriam ter consciência de que a Bíblia não é um simples livro repleto de curiosidades e factos históricos. Ela é a Palavra de Deus. A verdade nela contida permanecerá como o firmamento do céu, como se expressou o salmista no Salmo 119: 151-152:

“Tu estás perto, ó Senhor, e todos os teus mandamentos são a verdade. Para sempre, ó Senhor, está firmada a Tua Palavra no Céu.”

Os espíritas deviam saber que “toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correcção, para a educação na justiça.” (2 Timóteo 3:16). São injustas, enganosas e inspiradas por Satanás as afirmações que põem em dúvida a inspiração divina da Palavra de Deus:

“porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana, entretanto homens falaram da parte de Deus movidos pelo Espírito Santo.” (2Pedro 1: 21)

Será que perante estes factos, você, que ainda não se deixou “apanhar” nesta rede de mentiras, acredita que o espiritismo tem alguma réstia de Cristianismo? Lembre-se que, enquanto não chegarmos ao nosso destino final nesta vida, podemos sempre entrar na rota certa, com as ferramentas certas, fazendo as escolhas certas ao longo do caminho!

Fuja do espiritsimo e volte-se para Cristo!
https://joanadarc.wordpress.com/2008/06/06/sexto-sentido-loucura-de-quem-ve-e-escuta-espiritos-sem-conhecer-o-espiritismo/?unapproved=7126&moderation-hash=e528d8f377ceefb2e03028b1e5e07b94#comment-7126

20 04 2020
Claudio Castro.

Senhor “Voz do Deserto” desculpe não ter respondido antes, mas nessa situação atual todos os dias as 18 horas meu Grupo Espírita unidos com todos os outros estão na corrente de oração para pedir pra Jesus ajudar a humanidade superar essa pandemia.

Relativo a esses argumentos acima mencionados em interpretação de pequenas pinceladas hermeticamente retiradas de passagens de obras Espíritas, saiba que tal atitude é totalmente personal. O que quero dizer, é que se o advogado tem um criminoso a defender, ele se utiliza das leis civis, criminais e constitucionais para criar um relatório de defesa impecável e convincente. Da mesma forma, se esse mesmo advogado for contratado para acusar o mesmo criminoso, ele se utiliza da mesma legislação para formular outro relatório de acusação impecável e convincente. Então, irmão, seus argumentos aqui não valem nada, pois quando você cita uma frase cortada, eu já li todo o texto e tenho a interpretação correta, o que seria o certo para mim. Então, que cada um deixe o comodismo de lado e procure por si próprio, ler, estudar e tirar suas conclusões. Só deixo um observação, se usasse o seu nome poderia dar mais credibilidade também para suas interpretações, é uma dica.

Outra questão que gostaria de esclarecer: Somos todos irmãos, filhos de nosso Pai Celeste! Mas para enxergar melhor cada um deve utilizar um óculos com o grau corretivo compatível com sua vista. Assim, a religião é como um óculos. Temos óculos Católico Romano, óculos Budista, óculos Evangélico, óculos Umbandista, óculos Adventista, (…) e óculos da Doutrina Espírita. Eu já usei o óculos Católico Romano e não enxergava Jesus. Tentei muitos, e agora uso o óculos da Doutrina Espírita, no qual vejo perfeitamente Jesus Cristo e posso segui-lo. Pra mim, pessoalmente foi o melhor óculos. Devemos respeitar a escolha de cada um ! E seria muito bom que as pessoas tentassem colocar todos os óculos, antes de se acomodar com o que está usando.

Ainda preciso explicar, que a Doutrina Espírita é uma filosofia de vida com bases científicas e consequências religiosas. A Doutrina Espírita não quer furtar “fieis” de outras religiões, e nem precisa, pois não pedimos dinheiro em troca de nada, nunca. Isso, porque o Espiritismo não nasceu para ser uma religião, mas para servir de base teórica para todas as outras religiões. Infelizmente, como podemos ver, o preconceito é grande, o senso de rivalidade, egoísmo, medo, fez as religiões recusarem esse Consolador enviado por Jesus para iluminar todas as outras religiões.
Então as pessoas que passaram a enxergar Jesus com a Doutrina Espírita tiveram que oferecer suas casas para atender os pobres, estudar e evangelizar, assim como Paulo fez no inicio da fundação das primeiras Igrejas. Ninguém depende da Igreja para sobreviver. Todos temos nossos trabalhos e ajudamos como podemos.

Quando Jesus perguntou a Pedro “Tu me amas?” por 3 vezes, e por 3 vezes Jesus respondeu “apascenta minhas ovelhas” devemos refletir que Jesus quer nosso amor em obras, em cuidado ao próximo, em dedicar nossa vida para cuidar dos necessitados, e não apenas amar por palavras. Portanto irmão, vamos juntos seguir Jesus em ações para nossos irmãos mais necessitados nessa crise tão dolorosa para todos, e deixar qualquer disputa por religiosidade de lado.

Obrigado pelo seu questionamento, estava com esse Blog parado e me estimulou a escrever mais. Muito sucesso na sua jornada!

Deixe uma resposta para Isabela Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: