O que eu vou fazer quando me tornar idoso !

2 10 2017

O jovem geralmente não pensa na velhice. O tempo parece demorar muito para passar. Mas na realidade, de dez em dez anos, o tempo passa. E quando a velhice chega, parece pegar de surpresa muitas pessoas. Principalmente, quando há uma privação, dor ou alguma doença começa a bater a porta. E nesse momento pode ser tarde demais.

Além do especto físico, ainda há a questão financeira. A falta de planejamento nos últimos 30 anos pode ocasionar um quadro de privações econômicas terríveis, criando impossibilidades e dependência que certamente trará muito sofrimento.

Não podemos ainda esquecer, o lado espiritual ou religioso. A falta de participação, estudo, reflexões durante a juventude, além de influenciar negativamente a velhice, ainda cria a falta de vínculos participativos para o idoso, quando o mesmo possui mais tempo de sobra. Ou seja, a falta de participação não criou a rotina necessária, e agora é mais difícil começar.

Mas nada é impossível.

Pensando nisso venho escrever aqui, o que faria, qual o meu planejamento para a aposentadoria, desde antes, agora e depois.

Planejamento Financeiro:

1) Pagar o INSS, mesmo como autônomo para pelo menos garantir um salário mínimo.
2) Depositar 5 % do salário durante 20 anos o Tesouro Direto ou abrir um previdência privada (nesse último casa necessitaria de mais tempo guardando);
3) Estudar e aplicar na Bovespa (Bolsa de Valores) com uma carteira de longo prazo e ainda faturar um extra com mais 5% do salário durante 20 anos.
4) Se tivesse condições, comprar imóveis para alugar.
5) Aprender novos ofícios durante a vida, principalmente trabalhos manuais.

Ao chegar na velhice, certamente teria aposentadorias oficiais, seja pelo INSS, ou RPPA, além de poder fazer retiradas mensais das aplicações financeiras no Tesouro Direto, ou previdência privada para complementar a receita mensal.
Caso tivesse algum imóvel, o aluguel seria outra receita a computar, mas não dependeria apenas dele.
Com os investimentos na Bovespa, também poderia fazer retiradas mensais e ainda me ocupar com aplicações de mais riscos na velhice. Seria uma atividade profissional, que poderia exercer pelo resto da vida.
No campo ainda do labor, além da Bolsa de Valores, poderia me dedicar estudar e escrever livros técnicos, blogs e literatura infantil, ainda me dedicaria a alguma atividade manual, no meu caso a marcenaria de pequenos objetos personalizados e únicos. Mas poderia ser outro qualquer, até mesmo na cozinha, corte de cabelo, mecânica de veículos, instrumento musical – as possibilidade são infinitas. Se a situação apertar, ainda poderia tentar criar renda nessas atividades.

Planejamento Filosófico e Religioso:

1) Pesquisar dentre as religiões e filosofia a que mais me agrade.
2) Participar da rotina de estudos e aplicação de seus benefícios na juventude para intensivar a participação após a aposentadoria.

Ao chegar na mais idade, além de participar efetivamente, principalmente no ensinamento dos mais jovens ou evangelização e a pessoas necessitadas. Faria também viagens e participaria dos eventos e encontros nas mais diversas regiões do Brasil e exterior. Afinal, o que vale, são os tesouros que estão no Céu que são construídos com nossa dedicação ao próximo.

Planejamento Físico:

1) Durante a vida, aprender uma arte marcial, um esporte de bola, e natação.
2) Após 45 anos começaria a fazer musculação por todo o resto do meu tempo.
3) Quando a saúde apertar, fazer ioga e tai chi chuan.
4) Acordar cedo e fazer meditação ao sol todos os dias, preferencialmente ao redor de plantas, por 30 minutos.
5) Visitaria um Orto, ou local com bastante vegetação natural, ou ainda uma praia mensalmente, para recarregar os fluidos vitais.
6) Cultivar plantas e ter uma criação de algum tipo de animal pequeno, coelho, ramister, talvez cachorro, se tiver condições.

No meu caso, aprendi jiu-jitsu, basquete e pratiquei natação por alguns anos. Todos esses três esportes podem ser praticados na velhice, acompanhados de um fortalecimento pela musculação diária e mais alguns cuidados para não querer fazer o que faria quando jovem. Novos tempos, novas técnicas.

Planejamento Social

1) Aprender durante a vida a tocar alguns instrumento musical;
2) Cultivar laços com as pessoas, familiares e amigos – estudos apontam que “somos a média das cinco pessoas mais próximas que convivemos”. E assim, ainda podemos ser uma dessas cinco pessoas importantes para muitos.
3) Encontros sociais com algum fim – uma banda musical, jogos, hobbies, dança, canto, poesias, etc.
4) Participar frequentemente de shows e eventos culturais.
5) Fazer cursos rotineiros que envolvam pessoas, curso de inglês ou outra língua, palestras e eventos.
6) Participar da política da Cidade, ser um vigilante ou colaborador da vida política.

Na idade maior, obviamente que o cansaço, desânimo e tendência a procrastinação é maior. Mas as rotinas dos planejamentos acima irão garantir uma melhor qualidade de vida incrementando as possibilidades para o planejamento social. As perdas surgem pelo tempo. Amigos e parentes que não caminham mais neste mesmo plano não devem ser impedimento para estacionar no tempo e espaço. Obviamente que momentos difíceis surgirão, pois fazem parte da vida!  O importante contudo, é começar a girar a roda da vida a nosso favor, com planejamento e uma rotina de vida útil. E nunca é tarde, pois nosso espírito é eterno. O mais difícil é começar, depois que a “roda” começa a andar, tudo fica mais fácil.

A rotina desde jovem em atividades sociais é um facilitador de garantia de que nunca estaremos sozinhos no futuro, seja pela frequência a uma religião, ou encontro semanal com amigos e familiares, qualquer tipo de evento feito com sistematicidade é ferramenta contra a solidão, e consequente melhora do bem estar e qualidade de vida.

Planejamento Espiritual

As privações no destino muitas vezes são consequências de nossos excessos no passado. Agora, com o resgate dessas intemperanças, se ocorrer, certamente toda rotina descrita acima irá ajudar na superação das dificuldades físicas. Obviamente que o tempo e a energia termina, não há solução. Apesar de ser um novo começo, a despedida da vida pode parecer algo terrível, mas na realidade é o prêmio dos bons que fizeram o bem. Contudo, dificilmente alguém só fez o bem nessa vida. Mas para isso, ainda assim, podemos tentar agora mesmo buscar planejar nosso futuro espiritual e reverter a situação para o nosso lado – criando um futuro melhor: Basta dedicar um tempinho de nossas vida no auxílio do próximo, através do apoio religioso muitas possibilidades de caridade são ofertadas, ou ainda no site abaixo, indica 20 sugestões de ajudar as pessoas:

http://estadozen.com/artigos/20-maneiras-ajudar-alguem-hoje

Dessa forma, está aqui, meu planejamento. E o seu ?


Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: