Meu primeiro Conto Infantil

6 05 2018

[Para crianças de 2 a 4 anos – Este conto discursa sobre o uso da mentira dentro de nossas casas e ainda fala do descuido dos pais perante a educação dos próprios filhos. Linguagem simples, com situações da realidade e ao mesmo tempo procurando gerar uma imagem concreta da mentira para a criança. Assim, o adulto pode enfatizar sua descrição na hora da leitura para criar emoção e dessa forma ajudar ainda mais na moral da história: os malefícios do uso da mentira. No fim do Conto o responsável ainda pode conversar sobre os malefícios da mentira e cientificar a criança da moral objetivada, tentando realçar as consequências da mentira.]  Cláudio Castro.


 

Terezinha, Matilde e Jeferson – duas amigas e um mentiroso.

Terezinha era uma menina muito esperta, vizinha de Matilde – sua melhor amiga !

Brincavam juntas, estudavam juntas, iam e vinham de muitos lugares sempre alegres !

Mas essa não é a história apenas das duas amigas, e sim a da Senhora Mentira!

Ninguém conseguia ver ela de perto, se escondia como ninguém, mas sempre inesperada a Senhora Mentira aparecia ! Se ela fosse convidada, entrava na moradia e era muito difícil tirar ela de lá, pois a cada mentira, surgia outra mentira maior ainda ! E ela ficava cada vez mais forte !

Sabe onde ela morava? Na casa do outro vizinho, o Jeferson, um menino muito levado, jogava bola com os amigos da rua, gosta de pregar peças, sem falar é claro – nas mentiras !

Certo dia, ouviu-se um grande barulho e um grito de um menino assustado:

_ Socooorro um lobo, um lobo !

Todos correram assustados em direção a casa do Jeferson armados com todos os tipos de paus… mas ao abrirem a porta tinha apenas um ursinho de pelúcia !

Jeferson disse com a risada presa entre os dentes:

_ Oi pessoal, me confundi, era só um bicho de pelúcia !

E todos saíram resmungando do tempo perdido.

Outro dia, o Jeferson estava chegando a casa e boatou para todos os vizinhos que era pra guardar água em baldes, pois avisaram na Escola que iriam cortar a água das casas por uma semana !

Alguns começaram a encher os baldes de água, mas logo foram desmentidos pela Terezinha e Matilde, que estudavam no mesmo colégio:

_ Não teve nenhum aviso de falta d’água, é mais uma mentira do Jeferson !

Alguns pais foram reclamar com o pai de Jeferson e sabe qual foi a resposta:

_ Rá rá rá, esse menino está muito esperto ! Parece com o pai !

E não deu nenhuma trela, pois a Senhora Mentira estava feliz por lá ! Ela ficara rindo e como um vento uivando falava sem ninguém captar :

_ Rá Rá Rá !! Sou a Senhora Mentira e todos dessa casa são meus amigos e me obedecem !

Depois desse ocorrido,  Terezinha e Matilde foram brincar  e todos já ficaram sabendo que o Jeferson é um grande mentiroso e o pai dele não ajuda em nada na educação do filho !

Tempo vai, tempo vem…  Até que num certo dia, um fato estranho ocorreu…

O pai de Jeferson foi trabalhar a pé e deixou o carro no sol com o telefone dentro do carro. Mas o sol estava tão quente, que o telefone começou a pegar fogo !

Jeferson estava brincando de carrinho na rua, quando viu um fogo dentro do carro ! Ele ficou vermelho e saiu correndo gritando:

_ Fogo ! Fogo ! Fogo ! O carro de papai está pegando fogo !

Terezinha ouviu e disse pra mãe:

_ Olha só mamãe, o Jeferson não cansa de querer enganar os outros, está mentindo novamente !

E a mãe dela concordou e continuou preparando o almoço.

Depois, na casa de Matilde, ao ouvir os gritos – seu pai disse:

_ Veja só Matilde, esse menino Jeferson está pensando que vai nos enganar novamente, e pior que nem o pai dele quis colocar ele de castigo !

E continuaram nas suas tarefas de casa…

O Jeferson já não sabia mais o que fazer e começou a chorar na rua.

Nesse momento o fogo do carro fez quebrar os vidros e subiu um grande fogaréu – só assim todos viram que era verdade o que Jeferson estava dizendo…

_ Ligem ! Ligem rápido para o Corpo de Bombeiros !

Num instante já se podia ouvir a sirene dos carros:

_ UOUOUOUOUOUO…

E logo depois os destemidos Bombeiros apagaram o fogo, já com o carro totalmente destruído.

Nesse momento o pai de Jeferson chega e fica apavorado com tudo, abraçou o filho que disse:

_ Pai! Papai !  eu vi o fogo no início, gritei, gritei, mas ninguém acreditou em mim !

Então, o pai em um silêncio profundo, pensando em tudo o que aconteceu, falou para o menino:

_ Vamos filho, vamos, porque agora nós dois estamos de castigo e de hoje em diante a mentira está proibida !

E a Senhora Mentira nunca mais entrou naquela casa !

O Jeferson? Ele nunca mais ousou falar mentiras e todos passaram a acreditar nele novamente !

Mas a Senhora Mentira não saiu triste, pois sabia que em alguma outra casa, logo logo iria encontrar abrigo…

[Reflexão]


ps.: Agradecimento a Equipe do Instituto de Psicologia Ser e Crescer, a Dra. Beatriz Acampora e a todos os participantes, onde vivenciei a excelente oficina “Transformação” na busca e incentivo pelos nossos ideais mais nobres – nosso propósito de vida. <http://www.isec.psc.br/ >


 


Ações

Informação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: