Por que nunca abortar !

9 09 2012

Toda ação produz reações em sentido contrário na mesma intensidade. É a terceira Lei de Isaac Newton. Mas tal descoberta científica nos remete a outra lei que se aplica as nossas relações com o mundo. Assim também temos a Lei da Causa e Efeito uma lei da natureza rege todas as ações praticadas, inclusive as relações interpessoais.

Não é necessário ser um religioso para saber nessas bases lógicas que a produção de uma ação negativa terá efeito contrário na mesma intensidade para o praticante. Ou seja, fazer sofrer o próximo é criar a certeza que o praticante terá o mesmo sofrimento no futuro.

Para quem é religioso temos esses mesmos ensinamentos por parte de todos os profetas no sentido de não produzir o mal. É um fato. A variação está, de religião para religião, apenas no que irá ocorrer ao indivíduo que praticou o mal. E não é boa coisa em nenhuma versão.

Dessa forma o aborto é a produção de uma morte em qualquer contexto. Após a fecundação o ser humano já existe. No seu desenvolvimento gradual no ventre materno já possui todos os seus órgãos em funcionamento na medida que o tempo passa. Destruir um feto é uma terrível produção de dor ao próximo com destino fatal.

O leitor pode imaginar nesse momento a legalidade da lei nos casos de estupro com a fecundação.

E ainda os casos de bebês sem possibilidades de vida, os anencéfalos, que recentemente foram liberados seu extermínio legal.

Devemos saber que tudo tem um motivo. Mesmo as situações mais injustas e dolorosas. E muitos desses fatos dolorosos é justamente a quitação de alguma possível ação negativa da própria futura mãe.

Não temos como visualizar o mundo invisível dos fatos negativos das ações e reações das vidas passadas. Nenhuma junta médica atual pode avaliar isso.

Seguir com uma gravidez indesejada, problemática, mesmo em casos extremos por vítima de estupro, seria um grande benefício para a futura mãe. Mesmo que ela doe essa criança para uma instituição. Quantos pais não procuram adoção de bebês…

Não abortar é uma questão assim de benefício humano futuro. Benefício de todos os envolvidos. Muitas mães produzem a ação do aborto e por falta de conhecimento tornam-se futuras sofredoras. Quem vai saber como estará nosso pensamento daqui há 20 anos… Com a morte não há retorno.

E não é tudo. Médicos que estariam a praticar tal ação, clinicando abortos, também terão sua parcela de sofrimento a colher no futuro. É Lei da Natureza.

Os fatos, ações, reações, consequências são muito evidentes. Nunca abortar é uma questão importantíssima para a felicidade futura. Quantos sofrimentos são causados por abortos inconsequentes.

E o cuidado deve ser ainda maior no que se revela aos métodos contraceptivos. Utilizar de recursos em que o óvulo após fecundado é eliminado, também é aborto. DIU e a Pílula do dia seguinte são métodos de risco.

A Doutrina Espírita nos revela que o espírito de uma criança já está presente quando ocorre a fecundação. O óvulo fecundado pelo espermatozoide já é um a vida independente com alma.

E quanto as pessoas que já se envolveram de alguma forma com aborto, saiba que – “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.”

Abaixo um vídeo de Divaldo Franco numa entrevista sobre o tema.

Artigos relacionados…

https://joanadarc.wordpress.com/?s=perd%C3%A3o