Filho, você está feliz ? (Pergunta errada)

22 07 2015
Missão dos Pais

Missão dos Pais

Muitos responsáveis e pais perguntam aos filhos se eles estão felizes.

Contudo, primeiramente nós temos que saber realmente o que é a felicidade, pois no mundo atual, os valores estão invertidos.

Em muitos casos, uma resposta positiva que se está feliz, pode na realidade ser um grande equivoco.

Vou explicar com um exemplo.

Imagine um jovem alegre e vaidoso, o Joãozinho. Ele foi educado para ser uma pessoa de sucesso, cursou com dificuldade o ensino técnico, conseguiu desde cedo trabalho para conseguir continuar os estudos, fez faculdade e luta a todo custo para comprar um carro importado como o primo rico que já nasceu em berço de ouro. A Felicidade para Joãozinho é conseguir seu carro importado, viver viajando pelo Brasil, curtindo cada fim de semana num lugar diferente e ainda sobrar muito dinheiro para sair e festejar com amigos.

O pai dele pargunta, está feliz, Joãozinho ? Ele diz que está quase, só falta pouco para comprar o carro e sair curtindo…

Coitado do Joãozinho…

Pois para saber realmente o que é felicidade devemos ver as consequências de nossas ações, e para ter a real capacidade de distinguir o que é realmente feliz ou infeliz para o homem, é preciso se transportar para além dessa vida, porque é lá que os efeitos se fazem sentir.

A INFELICIDADE está na alegria, no prazer, na fama, na agitação por shows, noites e viagens sem fim, é a  louca satisfação da vaidade, que fazem calar a consciência numa ilusória fabrica de passa-tempos modernos que comprimem a verdadeira missão do homem culminando no futuro em profunda depressão, depois, que o momento se partiu e a oportunidade foi desperdiçada.

Assim, muitos acontecimentos que parecem felizes naquele momento, possuem consequências muito negativas no futuro. E muitos acontecimentos tristes e infelizes, cessam com a vida e encontram compensações positivas na vida futura…

Somos espíritos imortais, praticamos ações a todos instantes e colhemos seus efeitos no futuro nesta e nas próximas reencarnações. Logo, passar por uma situação triste agora pode significar uma libertação no futuro. E ficar curtindo a vida “adoidado”, numa surreal felicidade momentânea, pode significar perda de tempo ou até mesmo colher espinhos em uma reencarnação futura.

O problema da perda de tempo é que muitos ficam a vida toda perdendo o tempo…

A felicidade verdadeira, portanto, está nas ações que praticamos para o bem comum e para nosso melhoramento como pessoa, baseado na manutenção da paz do nosso coração, da calma e fé no futuro – sempre em busca de descobrir e cumprir nossa verdadeira missão nessa rápida passagem material. Logo, tenhamos coragem e que possamos agir, sofrer, esforçar, – seja em estar devotando trabalho a família, seja cumprindo diversos deveres que Deus nos confiou.

Assim, nessa vida atual, antes de perguntar se alguém está feliz, é melhor questionar …

Filho você sabe o que é ser feliz ?

 

Referências ——————————————————————————————-

Kardec Allan, O Evangelho Segundo o Espiritismo. Tradução Salvador Gentile, Revisão Elias Barbosa. Araras, SP, IDE, 365° Edição, 2009. 1804-1869. Capítulo V.

Links Recomendados

Provas da Reencarnação 1

Provas da Reencarnação 2

Download “Evangelho Segundo o Espiritismo

 

Anúncios




Nossa meta de vida para os próximos 500 anos.

7 06 2015

Muitos ao verificar o título desse pequeno artigo pode achar que isso é loucura… Mas vamos com calma…

No artigo anterior, sobre algumas dicas baseadas na Doutrina Espírita para passar em concursos públicos, falei sobre “ter objetivo bem definido” a nível profissional. Saber qual área seguir, qual concurso investir, e finalmente quais matérias essenciais estudar, mesmo sem previsão de concurso específico, com isso, o concurseiro estará com uma boa base geral para atingir a meta.

“Não faça com que a pressa de colher estrague o seu momento de plantar” (Teilhard de Chardin)

Contudo com os esclarecimentos da Doutrina Espírita, verificamos que todos nós já tivemos vivências anteriores a esta vida e estamos a cada segundo gerando efeitos para o futuro. Mas não apenas o futuro a curto, médio e longo prazo desta vida… E sim gerando efeitos para vidas futuras com nossas ações de agora.

Mesmo para quem já tem conhecimento da Doutrina Espírita, muitos ainda não pensaram sobre isso. Mas o planejamento é muito importante para nossa própria felicidade. Registrar num diário um planejamento de ações e atitudes certamente irá ajudar o indivíduo a colher bons frutos no futuro.

 Na obra “Livro dos Espíritos”, encontramos a seguinte recomendação do Espírito Santo Agostinho:

“Fazei o que eu fazia quando vivi na Terra: no fim de cada dia interrogava a minha consciência. Passava em revista o que havia feito e perguntava a mim mesmo se não tinha faltado ao cumprimento de algum dever. Se ninguém teria tido motivo para se queixar de mim. Foi assim que cheguei a me conhecer e ver o que em mim necessitava de reforma.”

Para quem não conhece a Doutrina Espírita, talvez tenha que primeiramente avaliar a questão da reencarnação, pois é um assunto mais polêmico e muitos tem resistência em admitir tal possibilidade. Mesmo olhando para nós mesmos, verificando que todos temos boas e más tendências desde o nascimento, é difícil compreender que tais vivências registradas no subconsciente desde o nascimento na realidade foram adquiridas em vidas passadas a esta. Para quem busca se aprofundar no tema reencarnação para refletir sobre o assunto temos o artigo  Provas da Reencarnação.

Com essa questão refletida podemos então iniciar um planejamento não apenas de dez, vinte ou cinquenta anos a frente, mas podemos pensar em planejar o que queremos para nós por quinhentos, oitocentos, mil anos a frente !

A felicidade é a busca de todos os seres humanos, mesmo sendo um conceito diverso para cada tipo de pessoa, todos queremos ser felizes de um certo jeito. Mas o que é felicidade e como consegui-la ?

Para isso temos uma receita nos fornecida pelos próprios Espíritos Superiores no Livro dos Espíritos na pergunta 922 de Allan Kardec:

922 – A felicidade terrena é relativa à posição de cada um; o que é suficiente para a felicidade de um faz a desgraça de outro. Há, entretanto, uma medida comum de felicidade para todos os homens?

  R:   – Para a vida material, a posse do necessário; para a vida moral, a consciência pura e a fé no futuro.

Com essa importante receita podemos planejar uma vida com equilíbrio. Não adianta o indivíduo conseguir boa vida material desonestamente agora para depois necessitar resgatar tal dívida como miserável em outra reencarnação… A verdadeira felicidade não está nos objetos materiais. Como muitos objetos de adoração capitalista são difíceis de alcançar, como Iates e mansões, é comum pensarmos que “possuir ” tais objetos é a felicidade.

Então podemos começar a escrever um esboço de como alcançar a meta da felicidade plena, a felicidade que ainda não é possível sentir nesse planeta, mas que pode ser construída desde agora, mesmo se já praticamos muitas faltas no passado.

Para alavancar essa meta nos próximos 500 anos temos que começar já com algumas medidas para serem praticadas durante nossa vida de agora:

1) superar nossos defeitos – disciplinando-os;

2) resgatar dívidas pretéritas – sem revolta;

3) resistir com sucessos em nossas provações;

4) praticar caridade verdadeiramente.

Parece simples, mas não é.

O orgulho que todos temos, geralmente nos impede de ver e sentir nossos próprios defeitos. As relações de casamento e convívio familiar – que são as maiores chances de descobrir nossos defeitos – são desperdiçadas com intolerância e incompreensão.

Quando sofremos uma perda física ou material geralmente nos revoltamos até mesmo contra Deus e nos afastamos de todo o benefício do Alto. A maior concentração de renda é buscada a todo o custo gerando um sentimento de amargor, pois dinheiro nunca é muito.

Quando surgem oportunidades de tirar vantagem alheia, receber uma propina, burlar uma Lei, usar notas frias, praticar pequenos delitos (não respeitar direitos autorias, furar uma fila,etc) geralmente caímos na tentação, pois “se eu não fizer, outro faz” …

E assim ficamos ainda mais distantes da verdadeira meta de real felicidade, pois estamos gerando novas situações negativas para nossa própria vida futura, com mais dor e perdas… dessa forma se não for nessa vida teremos que resgatar nas próximas, pois a colheita é obrigatória.

Nesse período de quinhentos anos, se tivermos sorte e muita vontade, poderemos reencarnar algumas vezes e ter a chance de resgatar mais dívidas e melhorar ainda mais nosso ser moral e intelectual para nossa própria evolução, encurtando a distância da real felicidade.

Lembrando ainda que ” o amor cobre uma multidão de pecados”, dessa forma podemos iniciar agora com a prática do bem em suas inúmeras formas as ações que irão buscar o verdadeiro perdão e resgate de nossas faltas.

PERDAO

A Doutrina Espírita promove inúmeros recursos através do Verdadeiro Centro Espírita – atuando como um agente facilitador de nossa busca pela felicidade, dispondo a oferta de trabalho voluntário para nos engajarmos e fornecendo estudos sistemáticos sobre tudo que o plano espiritual busca nos ensinar. Planejar uma rota segura para os próximos quinhentos anos, fica mais fácil… e a verdadeira felicidade, mais perto.

—————————————————–

https://joanadarc.wordpress.com/?s=felicidade

 





Como ser feliz? Dicas do plano Espiritual para sermos felizes nesse mundo !

20 08 2014

(Allan Kardec Pergunta)

_ A felicidade terrena é relativa à posição de cada um; o que basta à felicidade de um faz a infelicidade de outro. Existe, entretanto, uma medida de felicidade comum a todos os homens?

(Espírito da Verdade Responde)

– Para a vida material, é a posse do necessário; para a vida moral, a pureza da consciência e a fé no futuro.   (Livro dos Espíritos, pergunta 922)

 

Vida Material – Para muitos, esta parte da vida é absolutamente tudo. A posse do necessário, não significa viver na miséria, ou ter apenas o que comer. Nos dias de hoje, nossas escolhas contra a vaidade e a aparência pode simplesmente já atender a esse conselho do plano espiritual. Combater o capitalismo, no sentido de ter posses de bens, mas sem extravagância – já é um bom começo. Afinal por quê ter um automóvel que custa duzentos mil reais, se um de cinquenta mil atenderia da mesma maneira o transporte com segurança.Contudo o homem busca não apenas o material, o necessário, mas almeja marcas, modelos, e vaidades de todos os tipos. A aparência e o status trazido pela posse do supérfluo é o grande mal do capitalismo. Enquanto muitos passam necessidades, não tendo comida para a semana seguinte, outros gastam rios de dinheiro com animais de estimação, com bijuterias, até mesmo com operações estéticas para uma tentativa de congelar o corpo físico que já não está mais perfeito para a sociedade e para as roupas que ela desenvolve. A caridade material é justamente a arma que temos contra o supérfluo. Que tal escolher o necessário que atenda realmente ao uso do produto e a diferença que se pagaria pela vaidade fosse doada a uma instituição de caridade séria ?

Pureza da consciência – Muitas pessoas, se deixam levar pelos pensamentos negativos e são capazes de praticar até mesmo crimes, seja contra outrem ou contra a si mesmo. Viver sempre se questionando das consequências dos nossos atos parece ser algo tão básico, porém muitos se deixam levar pelas tentações e provas que a vida dispõem. A juventude principalmente deve estar atenta as ciladas da vida, aditivadas pelo consumo de bebidas alcoólicas – algo tão normalizado pela sociedade. A busca por sempre se aproveitar das situações para levar vantagem em tudo é outra tendência que leva indivíduos a perder sua pureza. Poder deitar na cama no fim do dia e não se lembrar de nenhuma de nossas ações que tenha prejudicado alguém é seguramente uma bênção de felicidade que só que perde sabe. Contudo, como diz Chico Xavier através de psicografia “embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.”

Fé no futuro – Toda causa gera efeitos no futuro. Assim, quando praticamos ações no presente, o surgimento de reações no futuro é uma lei da natureza. Como nos diz Chico Xavier em psicografia – “Faça sempre o melhor que puder, e o melhor surgirá!”. Com essa fé em nossas ações acabamos por aumentar a vigilância, pois obviamente que ações negativas que prejudiquem alguém, irá com certeza nos prejudicar um dia. A vida é plantar e colher! Ninguém planta erva daninha e colhe frutas. Nós criamos nossa vida futura a cada instante de vida presente. Ajudar ao próximo é semear felicidade para nós mesmos. A ganancia e posse do supérfluo é semear necessidades materiais para nós mesmos no futuro.

Faça sua escolha ! E que seja a felicidade !

 

 

Download do Livro dos Espíritos





A Felicidade não é desse mundo.

9 05 2013

Hoje meu pai me perguntou por que eu estava triste…

Na realidade não estava triste, mas também não estava eufórico. E lembrei Jesus …. A felicidade não é deste mundo….

…e me remetendo ainda a outro pensamento…

O papel mais pesado é sempre aquele que se reserva aos heróis e aos santos, porque esses atores infelizes vivem cercados pelas exigências do teatro inteiro, embora, no fundo, seja também personalidades frágeis e humanas !

Em minha vida pequena diante dos grandes heróis procurei a felicidade, primeiro com a família, na busca nas necessidades, comida farta, carro, eletroeletrônicos, casa bonita, bens. Nessa busca por essa felicidade familiar e material levantamos muros altos e com cercas elétricas…

Felicidade requer tempo e dedicação como tudo nesse mundo, pensei.

Assim, acho que equilíbrio é o foco e o desafio nessa peça principal dessa vida passageira. Mas como isso é difícil no mundo atual!

Depressão, mesmice, irritação, tédio, simples falta do que fazer…

Tudo isso provoca um estado de infelicidade. Aliado ao consumismo dos dias atuais, com as promoções via e-mail e sites de compras coletivas, a felicidade pode ser transformada em bens materiais muito facilmente. Contudo ao se adquirir o bem quase que imediatamente outro objeto passa a ser almejado…

E para que esse motor consumista possa dar vazão aos nossos desejos materiais começamos a trabalhar em outro emprego, acumulando jornadas abusivas.

Se isso está errado, onde está portanto a felicidade?

Socialmente temos grandes fontes de felicidade. No trabalho, no lazer, na prática de atividades físicas, no convívio com as pessoas da família e amigos, nos estudos.

Qualquer um pode assim ter fontes de momentos felizes. Mas chega no domingo a noite casado e com a rotina pesando,  sinto que esses ótimos momentos ainda não é a felicidade.

Um certo filósofo diz que a felicidade é não sentir dor.

Isso poderia ser até verdade no passado, mas nos dias atuais, muitos não sentem dor e entram em estado de depressão infeliz.

Seria então outro grande ponto de felicidade o desenvolvimento da vocação e realização do trabalho?

O trabalho é lei divina. Estar fazendo o que gosta ou pelo menos buscando e trabalhando hoje para a realização futuro é essencial. Quando se trata de trabalho não há sonho impossível, apenas persistência.

A vida é muito curta para ser pequena ! E desperdiçá-la em atividade improdutiva certamente trará infelicidade futura.

Contudo, conseguir trabalhar no emprego dos sonhos pode ser algo utópico. Nesses casos talvez possamos transformar os sonhos profissionais em hobby.

Mesmo assim, com a rotina, o que era emprego dos sonhos acaba se tornando uma diversão rotineira e monótona. Muitos entram num espiral de mudança de empresas para buscar novos desafios que nunca acabam. E mesmo em trabalhos emocionantes e duradouros, o tempo passa e envelhecemos.

Onde está a felicidade plena?

Fazendo algum tipo de caridade tive também momentos de muita felicidade. Mas também não podemos deixar a família de lado e o trabalho para viver para a caridade.

Percebo então, obviamente, que temos momentos de felicidade em muitas situações, porém são em sua maioria passageiras. Ter uma felicidade constante é um desafio talvez impossível neste momento.

Sendo assim, a felicidade plena realmente não é deste mundo. Neste mundo temos momentos felizes, certamente por ainda morarmos num planeta de provas e expiações. Aliado a esses momentos, podemos ter mais sensações de felicidade na paz de fazer sempre o que é certo com equilíbrio em tudo. Tendo ainda o cuidado de não confundir sensações de felicidade com egoísmo.

E nenhum conselho parece ser mais útil na busca da felicidade do que – “Ame o próximo como a ti mesmo.”

E ainda a resposta do Mestre na pargunta 922 de Allan Kardec:

922 A felicidade terrena é relativa à posição de cada um; o que e suficiente para a felicidade de um faz a desgraça de outro. Há, entretanto, uma medida comum de felicidade para todos os homens?

  R:   – Para a vida material, a posse do necessário; para a vida moral, a consciência pura e a fé no futuro.

E com você, onde está a sua felicidade verdadeira nos seus dias ?