Leve Desespero? Ações impensadas de “pavios curtos” numa visão espiritual…

11 09 2008

( Parece que estava prevendo o triste caso de Eloá e Nayara ao escrever no dia 11 de setembro esse alerta às pessoas que praticam ações impensadas… )

O grupo de rock Capital Inicial em sua música Leve Desespero retrata um momento de angústia transmitindo um sentimento de vazio interior muitas vezes causados por arrependimentos de atos impensados.

Ações impensadas

A raiva e desespero provoca momentos de loucura. Quem não conhece um caso de violência doméstica devido a pessoas em estado de descontrole? Ou um amigo “brigão”?

Então, já que é tão comum, qual seria o motivo provocador dessas ações violentas tão desastrosas para todos os envolvidos?

O motivo são vários, mas o que impulsiona para ações geralmente passa pelo orgulho e vaidade – que são aquelas vozes mentais do tipo “o que vão pensar de mim se não revidar?”, “o que vão dizer de mim se perdoar isso?”, “Se agir assim todos vão me temer.” …

Logo muitas situações que poderiam ser controladas pelo diálogo sereno se transformam e batalhas verbais, e posterior, lutas reais por meio de todo tipo de violência. E pior, muitas vezes atingindo pessoas que nem estavam participando da situação – e as crianças são as maiores vítimas.

759 Qual é o valor do que se chama ponto de honra em matéria de duelo?
– Orgulho e vaidade: duas chagas da humanidade.

E não para por ai, muitos casos ainda podem levar o indivíduo a fazer um ato bárbaro e ainda cometer suicídio. Não é difícil encontrar noticias nos jornais sobre o assunto. Casos REAIS onde o orgulho aliado à falta de controle emocional levam pessoas normais a cometerem atrocidades. Momentos, segundos impensados podem criar uma eternidade de tormentos e aflições no plano pós-morte.

957 Quais são, em geral, as conseqüências do suicídio sobre o Espírito?
– As conseqüências do suicídio são muito diversas: não existem penalidades fixas e, em todos os casos, são sempre relativas às causas que o provocaram; mas uma conseqüência da qual o suicida não pode escapar é o desapontamento. Além disso, a sorte não é a mesma para todos: depende das circunstâncias. Alguns expiam sua falta imediatamente; outros, em nova existência, que será pior do que aquela cujo curso interromperam.

Ainda assim me pergunto por que escrever sobre esse assunto. Algo muito pouco pesquisado na internet – Suicídio, Estresse, Loucura, Orgulho, Brigas, Descontrole Emocional… parece chato…

Contudo, com a quantidade de pessoas “pavio curto” que me cercam, as discussões graves que tenho presenciado de casais em conflito, e aliado ainda a um acidente na minha cidade onde uma menina e  o seu namorado após uma briga bateu com o carro em alta velocidade matando ambos e ainda duas amigas  que estavam de carona – tudo isso me lançou ao teclado nessa madrugada de quarta-feira.

Aliado a isso, pelo conhecimento da Doutrina Espírita sabe-se das graves conseqüências que atos impensados como estes causam aos espíritos e dos mecanismos invisíveis que nos cercam nessas situações e em outras situações que nos prejudicam ou ajudam…  Está ficando interessante a questão agora!

  • Seres humanos = Corpo físico + Espírito
  • Morte humana = Cessação definitiva da vida ou da existência corporal, pois o Espírito continua vivo
  • Espírito = Espírito sem o corpo físico
  • Alma = Espírito que está preso a um corpo físico formando um ser humano material único.

Vejamos bem,  as quantidades de pessoas mortas e de assassinos já mortos em contextos de loucura e raiva lotam as casas espíritas sérias, agora como espíritos, para serem socorridos, encontrando-se em situações de terríveis tormentos em regiões tenebrosas. A maioria não consegue sair das situações, pois eles mesmos criaram reações negativas e agora passam um grande período em dolorosos momentos que parecem eternos.

Contudo nenhuma punição, ou melhor, reação negativa é eterna. Todos irão um dia, cedo ou tarde, reencarnar para passar momentos de reconstituição dos males que foram feitos e assim se livrarem dos tormentos criados. Ou seja, quase todos os momentos dolorosos que sofremos nessa vida atual sem procurarmos por isso são reparações de nossas próprias ações em vidas passadas.

Muitos devem estar perguntando, e Deus, e meu “anjo da guarda” ? Eles não irão me ajudar?

Sim. Contudo as leis do universo são máximas que não se podem mudar…

Mecanismo Invisível 1

Deus quer o nosso bem, mas temos que fazer o certo. Quem produz amor recebe amor, quem produz ódio e dor, recebe dor e tormentos. Como a lei da gravidade, a lei da ação e reação é uma realidade em nossas ações em todos os sentidos. Daí a importância da vigilância dos pensamentos e posterior ações práticas dos mesmos. São mecanismos esses que não vimos no dia-a-dia contudo regem nossa vida futura:

Nossas ações hoje em relação a nós mesmos e as pessoas que nos cercam.

Portanto fica aqui um convite para o auto-conhecimento a respeito de nossa personalidade em momentos de crises e provações de paciência e resignação.

• Como procedo diante de uma agressão verbal ?
• Como criar mecanismos para melhor controlar minhas ações em momentos de estresse?
• Tenho costume de agir por mim ou pelo que os outros vão pensar de mim ?
• Posso me considerar “pavio curto”? Como proceder nessas situações de crises?

Assim deve-se ainda ter a ciência de desenvolver paciência para ensinar com exemplos e boas palavras os erros que presenciamos e em relação ao que já foi feito de errado que possamos exercitar o perdão… Quanto às ofensas pessoas devemos ter caridade:

886 Qual é o verdadeiro sentido da palavra caridade como a entendia Jesus?

– Benevolência com todos, indulgência com as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.

887 Jesus também disse: “Amai até mesmo os inimigos”. Porém, o amor aos inimigos não é contrário às nossas tendências naturais? A inimizade não provém da falta de simpatia entre os Espíritos?

– Sem dúvida, não se pode ter pelos inimigos um amor terno e apaixonado; não foi o que Jesus quis dizer. Amar aos inimigos é perdoar e pagar o mal com o bem. Agindo assim nos tornamos superiores a eles; pela vingança, nos colocamos abaixo deles.

Infelizmente a insanidade humana é algo real nos dias atuais, como se vivêssemos ainda na idade média em muitos momentos, porém a certeza de estar no caminho certo é um dever de cada um de nós. Lembramos que nunca estamos sozinhos, o mundo invisível está nos vendo e criamos sempre boas companhias através de nossos pensamentos diários.

Mecanismo Invisível 2

O que pensamos a maior parte do dia – reflete nos tipos de companhias espirituais que temos ao nosso lado – nos transmitindo idéias e pensamentos. Muitas más companhias espirituais podem nos sugerir pensamentos de raiva, ódio, agressividade, obsessão a vícios – bebida, drogas, pornografia.

Contudo muitas BOAS companhias nos atiçam com idéias para o sucesso profissional, a caridade, a paciência, a determinação e vontade de viver!

Com quem quer ficar ?

Assim, controlemos nossos pensamentos vigiando-os sempre através de atividades produtivas, criando assim o primeiro passo para uma vida melhor, controlada e saudável, buscando com o auto-conhecimento – sempre atividades com vocação para tal – sendo assim fonte de alegrias reais e sucesso tanto materialmente quanto espiritualmente.

Mecanismo Invisível 3

Lembrando sempre que o mal provoca reações futuras maléficas a quem o pratica, entretanto, a CARIDADE ao próximo apaga o mal feito. Ou seja alcançamos o verdadeiro perdão de um mal que fizemos através de uma ação contrária, uma ação no bem, uma caridade ao próximo menos favorecido! Fácil teoria, mas a caridade é algo difícil de se fazer, pois é contra a sociedade materialista que vivemos. Contudo é algo que toda casa Espírita propõe e oferta prontamente aos seus freqüentadores para contribuir para libertação espiritual de cada um dos praticantes da caridade.

É um assunto vasto o que foi escrito aqui, obtido por leituras e estudo de muitos livros vindo de psicografias de Espíritos superiores, que posso indicar abaixo para maiores detalhes. Podem ser baixados livremente ou comprados em qualquer livraria Espírita.

Agora, após conhecer um pouco mais dos mecanismos invisíveis que nos regem e antes de qualquer ação, se principalmente nos consideramos pessoas sem paciência e de “pavio curto” busquemos alternativas para descarregar as energias negativas. Algumas sugestões posso dar:

Um saco de pancadas para colocar em casa e descarregar muita energia e ainda proporcionando um bom exercício físico buscando sempre mentalizar bons fluidos;

Praticar aeromodelismo começando com montagem de modelos de isopor como os ensinados nesse mesmo blog.

  Aprender a tocar violão. Por que não começar com esse vídeo aula para tocar violão. No youtube tem muitas outras video aulas. Abaixo ainda deixo a cifra da música do Capital Inicial acima mencionado.

Bons pensamentos e atitudes para todos.

————————

Perguntas e Respostas em negrito retiradas do “Livro dos Espíritos” codificado por Allan Kardec.

————————-

Letra e Cifra: Leve Desespero – Capital Inicial

Tom: Em
Intr..: (Em Bm7 C7+ Am7)2X

Bm7     C7+                 Am7
Não consigo mais me concentrar
Bm7     C7+                 Am7
Vou tentar alguma coisa para melhorar
Bm7     C7+                 Am7
É importante, todos me dizem
Bm7     C7+                 Am7
Mas nada me acontece  como eu queria

Bm7     C7+                 Am7
Estou perdido, sei que estou
Bm7     C7+                 Am7
Cego para assuntos banais
Bm7     C7+                 Am7
Problemas do cotidiano
Bm7     C7+                 Am7
Já não sei como resol…ver

Em           D
Sob um leve desespero
Am7                   C
Que me leva, que me leva daqui
(Em D Am7 C) (Em D Am7 C)

Bm7     C7+                 Am7
Então é outra noite num bar
Bm7     C7+                 Am7
Um copo atrás do outro
Bm7     C7+                 Am7
Procuro trocados no meu bolso
Bm7     C7+                 Am7
Dá pra me arrumar um cigarro?

Bm7     C7+                 Am7
Não consigo mais me concentrar
Bm7     C7+                 Am7
Vou tentar alguma coisa para melhorar
Bm7   C7+   Am7  Bm   C7+      Am7
Já estou   vendo TV como companhia

Refrão

Bm7  C7+ Am7         Bm7       C7+ Am7
Tal…vez        se você entende….sse..
Bm7     C7+
O que está acontecendo
Am7         Bm7   C7+   Am7
Poderia me explicar
Bm7        C7+
Eu não saio do meu canto
Am7
As paredes me impedem
Bm7  C7+ Am7
Eu só queria me divertir
Bm7      C7+ Am7
As paredes me impedem
Bm7   C7+    Am7
Já estou vendo TV
Bm7  C7+ Am7
como companhi..a

Refrão 2x
Termina com Em





Sexto Sentido: Loucura de quem vê e escuta espíritos sem conhecer o Espiritismo.

6 06 2008

Muitas pessoas vêem e escutam espíritos. E não é nada fácil para quem não conhece a Doutrina Espírita lidar com isso.

“Todo aquele que sente, num grau qualquer a influência dos Espíritos é, por esse fato, médium. Essa faculdade é inerente ao homem…” (Kardec, Allan. Livro dos Espíritos)

O melhor caminho é o estudo sistemático da Doutrina Espírita com uma constante reforma íntima e assiduidade de freqüência a uma Casa Espírita.

Imagine quem não conhece a Doutrina Espírita… Tema até abordado no filme “O Sexto Sentido” como uma aventura de muito suspense. Apesar do filme tratar o assunto de forma sensacional justamente para compor o enredo do filme, fico pensando como deve ser problemático essa situação… Muitos devem pensar que são até mesmo loucos! Contudo o Espiritismo está ao nosso alcance através dos livros da codificação da Doutrina por Allan Kardec em livrarias e na internet.

O desconhecimento do Espiritismo é muito grande e diante do mundo atual, independente de religião, se faz urgente o seu conhecimento através de uma leitura atenta de sua obra.

“O que é Espírito? Espírito é a alma desprendida do corpo físico após sua morte. O corpo morre, assim a alma torna-se um Espírito.”

Podemos receitar um roteiro básico para iniciar um estudo sistemático da obra:

1) Livro dos Espíritos – Allan Kardec – Codificação básica da obra em formato de perguntas e respostas (Allan Kardec pergunta e o Espírito da Verdade responde);

2) Juntamente a obra inicial pode-se estar lendo um livro resumidor da obra como “Espiritismo – Tudo o que você precisa saber.” de Richard Simonetti.

2) Evangelho Segundo o Espiritismo – Allan Kardec. Explica a luz do Espiritismo as palavras de Jesus. Muito bom para reunir a família em estudo no lar.

3) As obras do espírito André Luiz psicografado por Chico Xavier.

4) “Livro dos Médiuns” de Allan Kardec.

Depois da leitura e estudo dessas obras básicas, o leitor pode escolher outras obras mais diversificadas como “Memórias de um Suicida”, por exemplo.

LINKS RECOMENDADOS:

Download gratuito da obra Espírita no link abaixo:

http://www.espirito.org.br/portal/download/pdf/index.html

“Quem é quem???????

Espírito Santo, Anjos, Amigos Invisíveis – são Espíritos bem instruídos conhecedores das leis de Deus e que praticam o bem.

Demônios, Satanás – são Espíritos desinformados das leis de Deus que praticaram o mal e ainda buscam tormentos e obsessões.

Nós humanos – podemos nos tornar ao morrer tanto bons anjos como demônios – depende de nossas ações, pois nós também somos espíritos !”

Abaixo temos um caso real de uma pessoa que possuía grande capacidade mediúnica sofrendo muito até conhecer o Espiritismo. Felizmente consegui harmonizar-se e produzir muitos frutos trabalhando por Jesus na Doutrina Espírita…

Biografia de Peixotinho: Um caso REAL !

Francisco Peixoto Lins (Peixotinho)

“Nasceu na cidade de Pacatuba, Estado do Ceará, no dia 1º de fevereiro de 1905, desencarnando na cidade de Campos, Estado do Rio de Janeiro, 16 de junho de 1966.

Seus pais foram Miguel Peixoto Lins e Joana Alves Peixoto. Bem cedo ficou órfão de pai e mãe e passou a conviver com seus tios maternos, em Fortaleza, Estado do Ceará, onde fez o curso primário. Em seguida matriculou-se no Seminário Católico, de acordo com o desejo de seus tios, que desejavam vê-lo seguir a carreira eclesiástica. No Seminário sofreu várias penas disciplinares por manifestar a seus educadores dúvidas sobre os dogmas da Igreja. Observando as desigualdades humanas, tanto no campo físico como no social, ficou em dúvida no tocante à paternidade e bondade de Deus. Se todos eram seus filhos, por que tantas diversidades? Indagava. Por que razões insondáveis uns nascem fisicamente perfeitos e outros deformados? Uns portadores de virtudes angelicais e outros acometidos de mau caráter? Dizia então: “Se Deus existe, não é esse ser unilateral de que fala a religião católica.” Desejava saber e inquiria os seus confessores, os quais, diante das indagações arrojadas do menino, usavam o castigo e a penitência como corretivo.

Aos 14 anos de idade desistiu do Seminário e, com a permissão dos tios, transferiu-se para o Estado do Amazonas, em busca de melhores dias, enfrentando os trabalhos árduos dos seringais. Ali trabalhou cerca de dois anos, resolvendo voltar para Fortaleza. Nessa fase de sua vida, nele se manifestaram os primeiros indícios de sua extraordinária mediunidade, sob a forma de terrível obsessão. Envolvido por espíritos menos esclarecidos, era tomado de estranha força física, tornando-se capaz de lutar e vencer vários homens, apesar de Ter menos de 18 anos e ser fisicamente franzino. Esse estado anômalo acontecia a toda hora e Peixotinho, temendo conseqüências mais graves, deliberou não mais sair de casa. Ali ficou acometido de nova influenciação dos espíritos trevosos, ficando desprendido do corpo cerca de 20 horas, num estado cataléptico, quase chegando a ser sepultado vivo, pois seus familiares o tinham dado como desencarnado.

Depois desse episódio, sofreu uma paralisia que o prostrou num leito de dor durante seis meses. Nessa fase, um dos seus vizinhos, membro de uma sociedade espírita de Fortaleza, movido de íntima compaixão pelos seus sofrimentos, solicitou permissão à sua família, para prestar-lhe socorro espiritual, com passes e preces. Ninguém em sua casa tinha conhecimento do Espiritismo e seus familiares também não atinavam com o verdadeiro estado do paciente, uma vez que o tratamento médico a que se submetia não lhe dava qualquer esperança de restabelecimento. O seu vizinho iniciou o tratamento com o Evangelho no Lar, aplicando-lhe passes e dando-lhe a beber água fluida. A fim distrair-se, Peixotinho começou a ler alguns romances espíritas e posteriormente as obras da Codificação Kardequiana. Em menos de um mês apresentava sensível melhora em seu estado físico e progressivamente foi libertando-se da falsa enfermidade.

Logo que conseguiu andar, passou a freqüentar o Centro Espírita onde militava o grande tribuno Vianna de Carvalho, que na época estava prestando serviço ao Exército Nacional em Fortaleza. A terrível obsessão foi a sua Estrada de Damasco. O conhecimento da lei da reencarnação veio equacionar os velhos problemas que atormentavam a sua mente, dirimindo todas as dúvidas que o Seminário não conseguira desfazer. Passou assim a compreender a incomensurável bondade de Deus, dando a mesma oportunidade a todos os seus filhos na caminhada rumo à redenção espiritual.

Orientado pelo major Vianna de Carvalho, Peixotinho iniciou o seu desenvolvimento mediúnico. Tornou-se um dos mais famosos médiuns de materializações e efeitos físicos. Por seu intermédio produziram-se as famosas materializações luminosas e uma série dos mais peculiares fenômenos, tudo dentro da maior seriedade e nos moldes preceituados pela Doutrina Espírita.

Em 1926, foi convocado para o serviço militar e transferido para o Rio de Janeiro, sendo incluído em um batalhão do exército, na cidade fluminense de Macaé. Ali se dedicou com amor à prática do Espiritismo e, com um grupo de abnegados companheiros, fundou o Centro Espírita Pedro, instituição que por muito tempo se tornou a sua oficina de trabalho.

Em 1933, consorciou-se com Benedita Vieira Fernandes, de cujo matrimônio tiveram vários filhos. Por força da sua carreira militar, foi transferido várias vezes, servindo em Imbituba, Santa Catarina; Santos, São Paulo; no antigo Distrito Federal e em Campos, Rio de Janeiro. Onde chegava, procurava logo servir à causa espírita.

No ano de 1945, na cidade do Rio de Janeiro, encontrou-se com vários confrades, dentre eles Antônio Alves Ferreira, velho companheiro no Grupo Espírita Pedro, de Macaé. Nessa época passou a freqüentar o Culto Cristão no Lar, realizado sistematicamente na residência daquele confrade. Posteriormente, unindo-se a Jacques Aboab e Amadeu Santos, resolveram fundar o Grupo Espírita André Luiz, que inicialmente funcionou na Rua Moncorvo Filho, 27, onde se produziram, pela sua mediunidade, as mais belas sessões de materializações luminosas, as quais ensejaram ao Dr. Rafael Ranieri a oportunidade de lançar um livro com esse mesmo título. Peixotinho prestava também o seu valioso concurso como médium receitista e curador.

No ano de 1948, encontrando-se pela primeira vez com o médium Francisco Cândido Xavier, na cidade de Pedro Leopoldo, teve a oportunidade de propiciar aos confrades daquela cidade, belíssimas sessões de materializações e assistência aos enfermos.

Em 1949 foi transferido definitivamente para a cidade de Campos, onde participou dos trabalhos do Grupo Joana D’Arc. Fundou também o Grupo Espírita Araci, em homenagem ao seu guia espiritual.

Peixotinho sofria de broncopneumonia, enfermidade que lhe causava muitos dissabores, porém ele suportava tudo com estoicismo, o mesmo podendo-se dizer das calúnias de que foi vítima, como são vítimas todos os médiuns sérios que se colocam a serviço do Evangelho de Jesus, dando de graça o que de graça recebem. ”

(fonte: Centro Espírita Nosso Lar – http://www.cenl.com.br/biografias/franciscopeixoto.htm )

Abaixo as explicações de Divaldo sobre Mediunidade e Doutrina Espírita…





Violência Urbana… Justiça através da violência – NÃO! Saiba por que…

18 04 2007

Hoje tive uma noite muito estranha. Sonhei com um artista que não gosto, não tenho cd, não tenho visto em lugar algum. Ele tinha sofrido um acidente fatal causado por amigos numa brincadeira de mau gosto. Não vou falar de quem se trata, pois acredito que isso não interessa e além do mais possa gerar irradiações negativos para a pessoa. Afinal depois de assistir a tanta violência no centro do Rio de Janeiro nos noticiários espero ser apenas uma impressão desses fatos…

Além dessa noite estranha, ainda por cima, ao sair de casa – me deparei com o irmão de um rapaz que faleceu cuja mãe trabalhou na casa dos meus pais – querendo falar com eles. Era um menino pobre, se envolveu com uma ex mulher de traficante… Deram dois tiros nos pés e depois o mataram. Não se sabe se foi o traficante ou se a própria mulher.

Fico a me perguntar, como as pessoas ainda matam com tanta facilidade. Não é só pessoas sem estudo, até mesmo os policiais em atuação atiram e matam bandidos também como foi mostrado no noticiário. Subiram ao morro e desceram com vários sacos de cadáveres… Não sabem eles que estão se comprometendo na lei da ação e reação. A mensagem de Jesus – amai os vossos inimigos – até hoje não entenderam nada !!! Atenção Policiais!
Simples: Quem mata nessa vida, numa próxima vida nascerá deficiente ou até mesmo será morto.

É a lei de Newton, ação e reação, toda causa tem um efeito, é lei universal e espiritual. Jesus veio para ensinar-nos, não conseguiu, enviou o Espiritismo – estudemos. Temos a obrigação de rever nossos conceitos.

Pois como diz a letra da música do Rappa – Também morre quem atira ! E na próxima vida terá como reação todas as ações praticadas nessa vida atual ! Não adianta se matou um bandido! Pagará por isso de qualquer jeito ! Se agrediu será agredido do nada, se feriu será ferido – com ferro fere, com ferro será ferido! Vamos policiais, justiceiros, os “mocinhos dos filmes” de ação hoje em dia estão fritos na próxima vida !!

Amai os vossos inimigos, não é para amar no sentido de ter amizade. Sim para respeitar, para não agredir nem muito menos matar! Não quero solucionar o problema da violência no Rio, e sei que a posição dos policiais é muito difícil, mas apenas digo o que não fazer – matar o inimigo! Busquemos soluções a partir daí. Eu acredito na palavra EDUCAÇÃO.

Vejam mais detalhes sobre a lei da ação e reação em :

http://www.espirito.org.br/PORTAL/ARTIGOS/ORSON/acao-e-reacao.html

Foto da operação policial no Rio 17/04/07 onde 19 pessoas foram mortas:

Policiais no Rio

Contudo a situação não está perdida para esses justiceiros, que acreditam estar fazendo o certo, matando criminosos.

“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.” Emanuel psicografia de Chico Xavier.

Assim parando de fazer o mal e iniciando um novo caminho com ações para o bem ao próximo, independente de quem for, qualquer um pode chegar a um novo resultado no balanço de sua própria vida.

Mudança já, violência não, educação SIM !

TOM: E
INTRODUÇÃO: C G D A E

C G D A E
U u u… uuu…
C G D
Hey Joe
A E7 C
Onde é que você vai com essa arma aí na mão, uuu…
G
Hey Joe
D A E7
Esse não é o atalho pra sair dessa condição
Dorme com tiro acorda ligado
Tiro que tiro trik-trak boom
Para todo lado
C G D A E7
Meu irmão é só desse jeito consegui impor minha moral
C G D A E7
Eu sei que sou caçado e visto sempre como um animal
C
Sirene ligada, os homi chegando
Trik-trak boom boom
Mas eu vou me mandando
C G
Hey Joe…
D A E7
Assim você não curte o brilho intenso da manhã,
Acorda com tiro, dorme com tiro
C G
Hey Joe
D A E7
O que o teu filho vai pensar quando a fumaça baixar
Fumaça do fumo
Fogo de revólver
E é assim que eu faço, eu faço a minha história
C G D A
Meu irmão, aqui estou por causa dele
E7
Eu vou te dizer
C G D A E7
Talvez eu não tenha vida, mas é assim que vai ser
Armamento pesado
O corpo é fechado
Eu quero mais ver, mais
C
Mais vai ser difícil me deter
C G
Hey Joe
D A E7
Muitos castelos já caíram e você tá na mira
Tá na mira, tá na mira, tá na mira
C G
Hey, hey, hey, hey, Joe
D A E7
Muitos castelos já caíram e você tá na mira…
C G
Também morre quem atira, boom boom boom
D A
Também morre quem atira, boom boom boom
E7/9+
Também morre quem atira, boom boom boom
Também morre quem atira, boom boom boom
C G
Também morre quem atira, é!
D A
Também morre quem atira, ai…
E7/9+
Também morre quem atira
Tam tam tam também morre quem atira

C G
Menos de 5% dos caras do local
D A
São dedicados a alguma atividade marginal
E7
E impressionam quando aparecem no jornal
Tapando a cara com trapos
Com uma “UZI” na mão
C (a arma “UZI”) G
Parecendo árabes, árabes, árabes do caos
D A
Sinto muito “cumpadi” mas é burrice pensar
E7
Que esses caras é que são os donos da biografia
Já que a grande maioria daria um livro por dia
C G D
Sobre arte honestidade e sacrifício, sacrifício
A E7/9+
Arte honestidade e sacrifício…
C G
Também morre quem atira, boom boom boom
D A
Também morre quem atira, fala D2
E7/9+
Também morre quem atira
C G
Também morre quem atira, boom boom boom boom…
D A E7/9+
Também morre quem atira, ai…
C G D A
Também morre quem atira, uuu…
E7/9+
Boom boom boom boom boom, … é!
(C G D A E7/9+)
Também morre quem atira, Joe! uuu…
Deu pro cara se ligar na missão, Joe, uuuu…