O que eu vou fazer quando me tornar idoso !

2 10 2017

O jovem geralmente não pensa na velhice. O tempo parece demorar muito para passar. Mas na realidade, de dez em dez anos, o tempo passa. E quando a velhice chega, parece pegar de surpresa muitas pessoas. Principalmente, quando há uma privação, dor ou alguma doença começa a bater a porta. E nesse momento pode ser tarde demais.

Além do especto físico, ainda há a questão financeira. A falta de planejamento nos últimos 30 anos pode ocasionar um quadro de privações econômicas terríveis, criando impossibilidades e dependência que certamente trará muito sofrimento.

Não podemos ainda esquecer, o lado espiritual ou religioso. A falta de participação, estudo, reflexões durante a juventude, além de influenciar negativamente a velhice, ainda cria a falta de vínculos participativos para o idoso, quando o mesmo possui mais tempo de sobra. Ou seja, a falta de participação não criou a rotina necessária, e agora é mais difícil começar.

Mas nada é impossível.

Pensando nisso venho escrever aqui, o que faria, qual o meu planejamento para a aposentadoria, desde antes, agora e depois.

Planejamento Financeiro:

1) Pagar o INSS, mesmo como autônomo para pelo menos garantir um salário mínimo.
2) Depositar 5 % do salário durante 20 anos o Tesouro Direto ou abrir um previdência privada (nesse último casa necessitaria de mais tempo guardando);
3) Estudar e aplicar na Bovespa (Bolsa de Valores) com uma carteira de longo prazo e ainda faturar um extra com mais 5% do salário durante 20 anos.
4) Se tivesse condições, comprar imóveis para alugar.
5) Aprender novos ofícios durante a vida, principalmente trabalhos manuais.

Ao chegar na velhice, certamente teria aposentadorias oficiais, seja pelo INSS, ou RPPA, além de poder fazer retiradas mensais das aplicações financeiras no Tesouro Direto, ou previdência privada para complementar a receita mensal.
Caso tivesse algum imóvel, o aluguel seria outra receita a computar, mas não dependeria apenas dele.
Com os investimentos na Bovespa, também poderia fazer retiradas mensais e ainda me ocupar com aplicações de mais riscos na velhice. Seria uma atividade profissional, que poderia exercer pelo resto da vida.
No campo ainda do labor, além da Bolsa de Valores, poderia me dedicar estudar e escrever livros técnicos, blogs e literatura infantil, ainda me dedicaria a alguma atividade manual, no meu caso a marcenaria de pequenos objetos personalizados e únicos. Mas poderia ser outro qualquer, até mesmo na cozinha, corte de cabelo, mecânica de veículos, instrumento musical – as possibilidade são infinitas. Se a situação apertar, ainda poderia tentar criar renda nessas atividades.

Planejamento Filosófico e Religioso:

1) Pesquisar dentre as religiões e filosofia a que mais me agrade.
2) Participar da rotina de estudos e aplicação de seus benefícios na juventude para intensivar a participação após a aposentadoria.

Ao chegar na mais idade, além de participar efetivamente, principalmente no ensinamento dos mais jovens ou evangelização e a pessoas necessitadas. Faria também viagens e participaria dos eventos e encontros nas mais diversas regiões do Brasil e exterior. Afinal, o que vale, são os tesouros que estão no Céu que são construídos com nossa dedicação ao próximo.

Planejamento Físico:

1) Durante a vida, aprender uma arte marcial, um esporte de bola, e natação.
2) Após 45 anos começaria a fazer musculação por todo o resto do meu tempo.
3) Quando a saúde apertar, fazer ioga e tai chi chuan.
4) Acordar cedo e fazer meditação ao sol todos os dias, preferencialmente ao redor de plantas, por 30 minutos.
5) Visitaria um Orto, ou local com bastante vegetação natural, ou ainda uma praia mensalmente, para recarregar os fluidos vitais.
6) Cultivar plantas e ter uma criação de algum tipo de animal pequeno, coelho, ramister, talvez cachorro, se tiver condições.

No meu caso, aprendi jiu-jitsu, basquete e pratiquei natação por alguns anos. Todos esses três esportes podem ser praticados na velhice, acompanhados de um fortalecimento pela musculação diária e mais alguns cuidados para não querer fazer o que faria quando jovem. Novos tempos, novas técnicas.

Planejamento Social

1) Aprender durante a vida a tocar alguns instrumento musical;
2) Cultivar laços com as pessoas, familiares e amigos – estudos apontam que “somos a média das cinco pessoas mais próximas que convivemos”. E assim, ainda podemos ser uma dessas cinco pessoas importantes para muitos.
3) Encontros sociais com algum fim – uma banda musical, jogos, hobbies, dança, canto, poesias, etc.
4) Participar frequentemente de shows e eventos culturais.
5) Fazer cursos rotineiros que envolvam pessoas, curso de inglês ou outra língua, palestras e eventos.
6) Participar da política da Cidade, ser um vigilante ou colaborador da vida política.

Na idade maior, obviamente que o cansaço, desânimo e tendência a procrastinação é maior. Mas as rotinas dos planejamentos acima irão garantir uma melhor qualidade de vida incrementando as possibilidades para o planejamento social. As perdas surgem pelo tempo. Amigos e parentes que não caminham mais neste mesmo plano não devem ser impedimento para estacionar no tempo e espaço. Obviamente que momentos difíceis surgirão, pois fazem parte da vida!  O importante contudo, é começar a girar a roda da vida a nosso favor, com planejamento e uma rotina de vida útil. E nunca é tarde, pois nosso espírito é eterno. O mais difícil é começar, depois que a “roda” começa a andar, tudo fica mais fácil.

A rotina desde jovem em atividades sociais é um facilitador de garantia de que nunca estaremos sozinhos no futuro, seja pela frequência a uma religião, ou encontro semanal com amigos e familiares, qualquer tipo de evento feito com sistematicidade é ferramenta contra a solidão, e consequente melhora do bem estar e qualidade de vida.

Planejamento Espiritual

As privações no destino muitas vezes são consequências de nossos excessos no passado. Agora, com o resgate dessas intemperanças, se ocorrer, certamente toda rotina descrita acima irá ajudar na superação das dificuldades físicas. Obviamente que o tempo e a energia termina, não há solução. Apesar de ser um novo começo, a despedida da vida pode parecer algo terrível, mas na realidade é o prêmio dos bons que fizeram o bem. Contudo, dificilmente alguém só fez o bem nessa vida. Mas para isso, ainda assim, podemos tentar agora mesmo buscar planejar nosso futuro espiritual e reverter a situação para o nosso lado – criando um futuro melhor: Basta dedicar um tempinho de nossas vida no auxílio do próximo, através do apoio religioso muitas possibilidades de caridade são ofertadas, ou ainda no site abaixo, indica 20 sugestões de ajudar as pessoas:

http://estadozen.com/artigos/20-maneiras-ajudar-alguem-hoje

Dessa forma, está aqui, meu planejamento. E o seu ?

Anúncios




Cirurgia Estética na visão da Doutrina Espírita

5 12 2014

” O país é o terceiro maior mercado de beleza, atrás de EUA e China. Em 2013, o segmento movimentou US$ 42,95 bilhões.”  Diário de Pernambuco

” Pela primeira vez, o Brasil superou os Estados Unidos e se tornou líder mundial na realização de procedimentos cirúrgicos estéticos, de acordo com relatório divulgado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps). Os dados, referentes a 2013, apontaram que o país foi responsável por 1,49 milhão de cirurgias no ano passado, 12,9% do total mundial, que foi de 11,5 milhões. ” G1

 mortes

O objetivo desse artigo é através de estudos da Doutrina Espírita chegar a uma visão Espírita do ato de praticar uma cirurgia estritamente estética, onde o paciente tem o livre arbítrio de escolher ou não a prática para melhorar a beleza física.

As cirurgias reparadoras são de imediato aceitáveis pela Doutrina. Assim como as  cirurgias que visam corrigir distúrbios funcionais são essenciais. A Doutrina Espírita alerta para os excessos e para os riscos das cirurgias que buscam mudar o visual com único objetivo de embelezar o corpo e o ego exclusivamente para exteriorização da vaidade.

E mesmo nesse campo, temos que avaliar bem as questões. Uma coisa é uma simples cirurgia para correção das “orelhas de abano” por exemplo. Praticamente tal cirurgia não há riscos. O resultado psicológico de tal cirurgia certamente ultrapassa em muito os riscos.

Outra coisa é uma lipoaspiração, uma abertura abdominal, retirada de partes do corpo em cirurgias complexas com grande perda de sangue e alto risco de infecções e rejeições feitas por pessoas saudáveis e muitas vezes sem necessidade.

Afinal são positivas ou negativas as reações de tal ato para a alma eterna? Pode prejudicar o espírito? Quais as consequências para o espírito após a morte do corpo ? Afeta o corpo espiritual (perispírito) ?

Vamos então com calma. De imediato podemos tentar descrever os pós e contras de uma cirurgia estética.

Pós

Como favorável temos principalmente a questão da autoestima da pessoa, que através de uma correção cirúrgica passa a se sentir melhor perante a sociedade e a si mesmo.

Outro ponto a favor é que a cirurgia praticamente obriga o indivíduo a manter-se num ritmo de vida mais saudável, devendo seguir dietas e maiores cuidados para manter o resultado por mais tempo. E em certos casos, como a cirurgia bariátrica em obesos de risco, pode resolver a diabetes.

E por último temos a correção de imperfeições estéticas que não teriam soluções alternativas, principalmente a questão da prótese mamária.

Contras

Como contrário a cirurgia estética, temos o fato de certas práticas gerarem um maior risco de problemas – principalmente lipoaspiração e outras cirurgias mais agressivas, com abertura abdominal, redução da pele, colocação de telas abdominais. Mesmo em Centros Cirúrgicos conceituados temos relatos de falecimento de indivíduos. Ou seja, já risco de morte e há risco de complicações.

Outro ponto negativo está no fato que uma cirurgia estética pode ser praticamente perdida, caso o paciente não siga as recomendações, dietas e novo estilo de vida.

Ainda assim, geralmente pode ocorrer no paciente novas restrições, perda de sensibilidade corporal com o rompimento de nervos, e necessidade de novas cirurgias para corrigir problemas derivados da primeira cirurgia, aumentando os riscos.

Ainda há relatos de problemas psicológicos na adaptação com o resultado, mesmo sendo positivo.

E por último a questão do arrependimento, após ter feito uma cirurgia, principalmente se não sair como o imaginado.

“Mas e se por acaso, esta pessoa pensa que, se tornar bonita é o único meio que ela vê para conseguir atenção no seu meio social,? E se ela pensa que parentes, amigos, namorados ou namoradas, irão gostar mais dela por agora ter uma aparência diferente? Daí teremos uma motivação para cirurgia plástica ligada a uma possível baixa na auto-estima, que advém possivelmente da falta de algumas habilidades sociais que dariam a esta pessoa destaque no seu ambiente social e que não necessariamente estão ligadas a aparência.” Adilson K. P. Junior (Inpa)

Análise da Cirurgia Estética sob a óptica da Doutrina Espírita

Na Codificação Espírita aprendemos que generalizar opiniões a cerca de um determinado assunto – acaba sempre em uma injustiça.

Dessa forma cada situação é um caso a parte. Antes de tudo não devemos julgar ninguém, se agora assistimos pessoas em situações duvidosas, em vidas passadas podemos ter sido nós mesmos que estávamos mergulhados no erro.

Mas vamos refletir sobre os fatos que a Doutrina Espírita nos revela:

No que se refere à cirurgia por questão de estética, temos um agravante que é o risco de morte, ou mesmo de dano ao próprio corpo físico. A morte nesses casos pode ser considerada como um suicídio, pela escolha do indivíduo pelo risco. Existem muitos relatos de espíritos que chegaram ao plano espiritual pelo suicídio e a dor é muito grande.

E o dano ao corpo, perdendo nervos e sensibilidades, agravado pelo sentimento de arrependimento, certamente afeta ao corpo espiritual que levará tais restrições a serem resgatadas em uma próxima existência corporal.

A Doutrina Espírita tem por objetivo a melhora moral do indivíduo, e dessa forma a reforma íntima é necessária para o melhoramento espiritual. Combater o egoísmo, o materialismo, o orgulho e demais defeitos que todos temos em diferentes graus, é a missão principal da Doutrina.

Sendo assim, a autoestima é um pilar a ser perseguido e desenvolvido, igualmente como o respeito ao próximo e a si mesmo.

Temos relatos de espíritos que abusaram da beleza física, prejudicando a si mesmo e a outras pessoas. Numa outra próxima existência corporal (reencarnação), nasceram como pessoas esteticamente muito feias – a próprio pedido – para evitar novos erros. Certos defeitos físicos dessa vida, portanto, podem ser na realidade uma ajuda.

Neste sentido, com a noção de que somos espíritos imortais em sucessivas reencarnações, podemos exercitar o foco mais na beleza espiritual (eterno) do que a beleza corporal (temporário).

Há relatos de pessoas muito humildes, simples, até mesmo servos – que ao chegarem no plano espiritual tornaram-se grandes em beleza e luz.

Dessa forma, a Doutrina Espírita nos pilares de Jesus nos convida a nos colocar no lugar do próximo e talvez possa assim nos ajudar a refletir sobre a utilização de cirurgias plásticas para melhorar a aparência física.

Podemos nos colocar no lugar das incalculáveis pessoas que possuem algum tipo de doença física e não possuem dinheiro para fazer uma simples operação de catarata, nem ao menos comprar remédios, esperando em filas intermináveis do Sistema Único de Saúde.

Se fôssemos umas dessas pessoas, gostaríamos de saber que são gastos milhões por ano em cirurgias estéticas feitas por pessoas sem nenhum problema de saúde, apenas para eliminar um pouco da “barriga” ou algo similar ?

Se fôssemos uma dessas pessoas, como sentiríamos ao saber que gorduras são lipoaspiradas em cirurgias para criar curvas mais salientes em já belas-mulheres-saudáveis… enquanto seus filhos imploram por uma simples lata de leite?

Certamente podemos culpar o sistema e os políticos pela pobreza e assim seguir com nossa riqueza de cada dia investida na beleza de nosso corpo. Afinal eu trabalhei e com meu esforço economizei vinte mil reais para uma cirurgia estética!

Ou ainda revidar mentalmente que já ajudo com um dízimo ou um valor de contribuição fixo a uma instituição de caridade, e assim sentir-se melhor no investimento em uma cirurgia estética.

Certamente tal pessoa não leu o óbolo da viúva nos ensinamentos de Jesus. (Marcos, XII: 41-44)

A Doutrina Espírita, reforça os ensinamentos de Jesus e nos convida a renúncia de nós mesmos nessa vida para alcançar a felicidade no Céu.

Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á. Mateus 16.25

Dessa forma não devemos julgar os praticantes ou futuros praticantes de cirurgias estéticas, mas salientarmos aqui dos riscos de tais atos podem causar ao espírito, e aconselhamos através de algumas reflexões a tomada de uma decisão. E certificamos assim, que a felicidade não está na aparência, a verdadeira felicidade está na colheita de nossas boas ações.

Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada.
– Provérbios 31:30

Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?
– 1 Coríntios 6:19

Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário? (Jesus)
– Mateus 6:25

————————————–

Segue abaixo portanto minhas respostas quanto a tal ato, com bases em meus estudos da Doutrina Espírita.

Afinal são positivas ou negativas as reações de tal ato para a alma eterna?

Positivas aquelas cirurgias reparadoras em que não há risco de complicações ou de morte e que o benefício psicológico é significativo.

Não há positivas no caso da busca da perfeição pelo ego pessoal. O exercício da vaidade corporal em benefício próprio é a escolha da porta larga para alcançar a autoestima e sentimento de bem estar social. Pode ter assim ações nulas – que já é um mal. E também pode ter ações bastante negativas, principalmente com a morte prematura levando ao espírito entrar em estado de suicídio.

Pode prejudicar o espírito? Quais as consequências para o espírito após a morte do corpo ?

Pode prejudicar ou não, depende, pois cada caso de vida é uma estrada diferente, e cada escolha que fazemos, seja nulas, ou mesmo negativas podem ser contornadas com ações positivas durante essa mesma vida. Afinal o amor cobre uma multidão de pecados. Assim ao chegar no plano espiritual, cada um terá que receber o que mais plantou nessa vida.

Afeta o corpo espiritual (perispírito) ?

Pode afetar na medida do que for proposto. Devemos ter ciência que temos pontos de energia pelo corpo, e a retirada de tais pontos pode afetar o equilíbrio. Possíveis falhas médicas imantadas pelo sentimento do arrependimento e revolta certamente podem afetar o corpo espiritual (perispírito).

 

Ressaltamos mais uma vez que a análise dessas questões se referem na questão da cirurgia estética que existem riscos quanto à saúde. Quanto a questão de cirurgia plástica reparadora, a Doutrina Espírita é totalmente favorável. O problema está justamente nos excessos.

Podemos verificar essa questão através do Chico Xavier:

 

Links Recomendados:

http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/cirurgia-plastica-36609/#.VITweXZiz1o

http://www.inpaonline.com.br/psicologia-cirurgia-plastica-busca-beleza-causar-problemas/

http://www.minhavida.com.br/beleza/materias/11935-cirurgia-plastica-sete-perguntas-antes-de-fazer

 





Perigo da automedicação com analgésicos e anti-inflamatórios

9 01 2011

Um parceiro de trabalho, amigo, repentinamente um dia antes do Natal faleceu. Uma hemorragia interna no intestino devido a uma diverticulite gerou uma falência múltipla.

Esse fato nos faz repensar a vida, nas suas prioridades, no modo de trabalhar, na qualidade de vida. Como é tão breve e precioso o nosso tempo aqui nesse planeta… E também sobre o uso de medicamentos, mesmo que não tenha sido o caso dessa partida.

Deixo assim um alerta para em caso de dor prolongada a melhor solução é um deslocamento imediato a um clínico médico. Parar o trabalho, cancelar compromissos, interromper festas de imediato e procurar um hospital de urgência.

Certamente não podemos lutar contra Deus Pai quando chega nossa hora de regresso, mas devemos garantir nossa saúde e dar exemplo para familiares de que hospital não é algo ruim.

Mesmo que não tenha sido o caso, devemos saber existem doenças graves  que provocam a morte em poucos dias provocando dores abdominais – e analgésicos podem camuflar  essas doenças por sedar a dor evitando assim a ida ao clínico para o verdadeiro diagnóstico e tratamento emergencial.

———— // ———–

A vida é infinitamente maior que essa vida

Fala campeão ! Agora não está mais entre nós. Mas não fique nervoso, tenso ou aflito porque é com você que essa brincadeira da morte aconteceu. Acalme-se com a imagem de Jesus em mente. Tenha fé em Deus nosso Pai Celeste e Criador. Ore por ele sempre onde estiver. Não fique com raiva ou mágoa do destino rápido. Tudo tem um motivo que desconhecemos inicialmente. Essa é a prova. Coragem em Jesus!

Ore e veja ao seu redor quando despertar para sua nova situação e aceite a ajuda dos anjos que nada mais são do que figuras humanas iluminadas pelo trabalho de amor ao próximo. Pode inclusive reconhecê-los de outros tempos…

Certamente passou pela sua expiação de vida e pagou pelos seus pecadas de ações passadas assim como falávamos em vida descontraídos no trabalho. Sua aparência agora não é muito diferente, mas agora você é um espírito desencarnado – Uma alma sem corpo físico. E não posso mais te ouvir, mas sei que ainda pode me ouvir pela minha oração direcionada.

Assim, siga seu caminho ! Todo o trabalho que deixou estará sendo cuidado aqui da melhor maneira possível. Vá para seu novo lugar no plano espiritual – é certo de precisar muito do seu trabalho.

Ainda que agora veja seu corpo falecido no caixão, também ouço os pássaros cantando nesse amanhecer de um novo dia. Onde estiver tenha calma de orar por Jesus e pela natureza que Deus criou – onde pela sua lei a chegada e a partida nos espera sempre rotineiramente para nossa evolução.

Você é insubstituível, mas nos esforçaremos o máximo para executar o que possa ter desenvolvido e deixado pendente – não se preocupe! Ore e siga com Jesus e seus amigos benfeitores que certamente querem te ajudar.

A verdadeira vida é ai, no mundo espiritual. Onde estava e onde ficamos é só uma passagem rápida e rápida já se foi para você, assim como para todos nós brevemente chegará o fim.

Mas o fim é um recomeço. Agora já sabe que a vida é infinitamente maior que esta vida material. Não se preocupe com os problemas deixados e com sua família. Eles são muito fortes e Jesus também está por eles.

Ajude-se pensando e confiando em Jesus e será ajudado. Eleve seus pensamentos, mentalize a natureza, as estrelas, o universo e ore com fé. O trabalho está só começando. Como você mesmo dizia, “Seus problemas acabaram!…… de começar”.

Nossa morte física é o começo de nosso renascimento para o mundo dos espíritos onde lembraremos de todas as nossas vidas anteriores, de todos os nossos problemas, as más ações e boas ações e passaremos por um bom período de reflexão para nos preparar para nossa nova jornada nessa passagem de vida material.

Eleve seu pensamento e aceito o auxílio do mais alto nesse instante. O trabalho sempre nos espera na busca da moral.

Missão cumprida…. Por ora!

Abraços do seu colega de trabalho e amigo. T+

 





Mediunidade comprovada com a comunicação com mortos em Tribunal EUA

30 07 2010

No vídeo abaixo temos o relato do canal Discovery Channel onde uma médium auxilia a família de um desaparecido a solucionar o drama.

http://video.br.msn.com/watch/video/investigadores-psiquicos-desaparecido/ru65kacp

Para quem é Espírita não existe novidade nesse caso, até mesmo psicografia de Chico Xavier já foi utilizada na solução de um caso no Brasil.

Contudo para quem não é Espírita e ainda está preso a imagem simbólica do “Céu e Inferno” é um grande convite ao estudo da Codificação Espírita – a qual explica, ensina e revela toda a existência de um mundo, o nosso verdadeiro mundo – o Plano Espiritual.

Infelizmente através de um caso de grave de assassinado foi demonstrado o dom da mediunidade em tribunal americano. Igualmente infeliz é a quantidade de pessoas que se passam por médiuns para cobrar por serviços ou vidências falsas.

Assim venho por meio dessa dar alguns conselhos a quem pretende utilizar-se de serviços de médiuns ou necessita de amparo espiritual:

1) Qualquer pessoa de qualquer religião ou crença pode ser um médium.

2) O médium entra em contato com espíritos que se identifiquem com sua moral e situação psíquica daquele momento. Chama-se sintonia espiritual.

3) Por isso existe a recomendação de que os médiuns entrem em contato com os espíritos dentro de uma Casa Espírita e com o suporte espiritual daquele ambiente de paz protegido de interferências.

4) O médium espírita nunca cobra por nada. A Casa Espírita nunca cobra por nada. A Doutrina Espírita e suas obras são todas formadas por trabalhadores voluntários, médiuns voluntários, dirigentes voluntários.

5) “O médium somente deve dar aos serviços da Doutrina a cota de tempo de que possa dispor, entre os labores sagrados do pão de cada dia e o cumprimento dos seus elevados deveres familiares. A execução dessas obrigações é sagrada e urge não cair no declive das situações parasitárias, ou do fanatismo religioso” (Emmanuel, 1940). Assim o bom médium não vive da mediunidade, da doação ou cobrança pela mediunidade, mas possui trabalho e renda própria e doa seu tempo extra para a caridade mediúnica.

6) O Espiritismo é a ciência que estuda os fenômenos dos espíritos e do plano espiritual. O Médium que se ampara em seus conhecimentos vindo dos próprios espíritos alcançam bases sólidas de caminho na luz do conhecimento cristão.

Assim antes de mais nada devemos procurar sempre auxílio espiritual em Casas Espíritas de preferência filiadas a Federação Espírita Brasileira. E mais do que isso devemos nos aprofundar nos ensinamentos enviados pelos Espíritos para que possamos transformar essa nossa passagem por esse nosso corpo físico em verdadeira oportunidade de crescimento interior.

Assim Seja.





Enfoque Espiritual diante de um Doente Terminal

8 07 2010

Orações

Estar diante de um doente terminal é uma situação muito difícil para todos. Sendo membro da família torna-se mais difícil ainda pela grande emoção que cerca a todos.

O conhecimento do pós-morte para quem é Espírita e estuda a Doutrina Espírita certamente é um grande consolo ao explicar em detalhes que toda dor, sofrimento será benéfico para o Espírito. Obviamente contra a eutanásia, devemos ter a dor e o sofrimento como expiação e lapidação do espírito, como um verdadeiro salão de beleza preparatório para a libertação espiritual. No livro “Quem tem medo da morte” de Richard Simonetti temos um grande resumo de todas essas questões.

Contudo, como nós Espíritas devemos nos comportar e atuar diante de um doente terminal, principalmente se a pessoa não tiver conhecimento espiritual?

São questões que estão me cercando ultimamente por justamente estar vivenciando uma situação desse tipo. Por mais certeza que temos na fé raciocinada nos ensinamentos e relatos do plano espiritual a emoção da despedida próxima é grande.

O silêncio é profundo e muitas vezes um aperto de mão e um olhar presente pode significar muito mais que palavras.

É uma situação que me lembra muito o livro “Nosso Lar” onde o Espírito de André Luiz acaba de chegar ao plano espiritual após morte prematura. A escuridão inicial e um ambiente hostil será certamente o início espiritual de muitos! E diante dessa imagem gosto muito das palavras de Emmanuel em relação a fé na oração psicografando que “num ambiente escuro basta a chama de uma pequena vela para afastar a escuridão”.

Assim em momentos apropriados um incentivo moral de fé acredito ser bastante acolhedor ao paciente terminal como

“Onde quer que esteja pense em Deus, ore por Deus e ele virá!”

“Basta uma chama de uma vela para afastar a escuridão ! E essa vela é seu pensamento em oração e fé em Deus!”

Com o paciente terminal com a memória e capacidade mental boa certamente ouvi-lo e estar por perto já pode ser uma grande caridade e ajuda.

E unida a palavras de incentivo e fé, caso questionados podemos revelar mais informações das revelações espíritas caso seja o caso, com bastante cautela para não apresentar outro tipo de interpretação.

Como aquela criança que irá para o seu primeiro dia de aula sozinha – o paciente terminal apresenta muitas dúvidas sobre para onde está indo. E toda dúvida é produtora do medo que certamente atormenta e afeta o psicológico. Depressão é fácil acontecimento.

Por isso a pessoa que acompanha o doente terminal deve ser geradora de fé, certeza e confiança em Deus para irradiar esse sentimento. E todos devemos nos esforçar para que a todo minuto de despedida em vida – seja baseada em sentimentos de confiança e fé calcada na certeza da vida após morte independente do conhecimento que o doente possua.

Irradiemos nossa certeza na vida futura para ele. Oremos ao espírito protetor e aos benfeitores espirituais que irão atende-lo com nossa certeza Espírita. Sejamos sinceros com a fé raciocinada que nossa verdadeira vida está no plano espiritual. Vibremos fé, amor e carinho não apenas para o paciente, mas também para aqueles que estão o acompanhando dia e noite em plantão, muitas vezes apenas pelo verdadeiro amor.

Um dia todos estaremos lá.





O Diabo

21 06 2010

– Imaginem – dizia-nos um amigo, em agradável tertúlia, no Plano Espiritual – se alguns desencarnados (falecidos), em desespero, aparecessem, de improviso, entre as criaturas humanas, reclamando supostos direitos deixados na Terra.

Gritando os tormentos que lhes dilaceram a alma, vomitando impropérios e blasfêmias, não seriam considerados um bando de demônios? Irreconhecíveis, urrando de dor selvagem, humilhados e vencidos, tentando, debalde, retomar as expressões físicas que ficaram nos cadáveres, seriam tomados por monstros infernais, repentinamente soltos na via pública.

– É verdade! – considerou um companheiro, melancolicamente – ninguém no mundo teria dificuldades em identificá-los como os velhos demônios da antiguidade. Os infelizes desse jaez, personificam perfeitamente, ante a observação popular, os Lucíferes, os Belcelins e os Astarots de recuados tempos. Os fantoches da dor sempre surgem ao entendimento infantil como gênios do mal.

Fez pequeno intervalo, sorriu e acentuou:

– Bastaria, porém, leve exame para que atingissem o conhecimento real; os diabos seriam, de fato, seres horrendos, mas não repugnantes, nem espantosos.

Ouvindo-lhe as referências, lembrava a personagem satânica do livro de La Sage, a perturbar as casas madrilenhas, levantando-lhes os telhados; e, demonstrando que me percebia os pensamentos mais íntimos, outro amigo acrescentou:

– As lendas de Asmodeu e Mefistófeles, no fundo, não terão origem diferente. Certo, a visão mediúnica favoreceu, entre os homens, a notícia dos tipos deploráveis que hoje conhecemos e dos quais Dante, em outro tempo, recebeu leves informes que enfeixou em seu poema célebre, de acordo com as suas tendências, conceitos e predileções de homem.

Nesse instante, um companheiro, ancião de muitas jornadas terrestres, fixou em nós um olhar percuciente e calmo e, valendo-se, talvez, da pausa mais longa, observou sensatamente:

-Todos sabemos que a criação inteira é obra infinita de Deus e não podemos ignorar que todos os seres do Universo, desde as notas mais baixas aos cânticos mais altos da Natureza, no campo ilimitado da vida, são portadores da Centelha Imortal da Divindade. Em todos os departamentos sem número dos mundos inumeráveis palpita o amor, existe a ordem, permanece o sinal da prodigiosa herança da vida. Por isso mesmo, irmãos, toda expressão diabólica é perversão da bênção divina. Onde esteja a perturbação da harmonia universal, aí se encontra o adversário do Senhor.

Vocês aludem, com muita oportunidade, aos mortos que se congregam em desespero, formando monstruosas paisagens, em que duendes, sem rumo, procuram em vão insinuar-se na existência dos homens da Terra. Se o olho humano pudesse identificá-los, possivelmente cessaria a continuação da vida na carne. Coletividades inteiras abandonariam o templo do corpo físico, tomadas de infinito e indomável pavor.

Escutávamos a palavra sábia em silêncio. E porque o intervalo se fizesse mais longo, o bondoso ancião, à maneira dos antigos filósofos gregos, rodeados de ouvintes atentos, continuou, com expressão significativa:

– Assistia pessoalmente a uma aula de sabedoria, numa das cidades espirituais dos círculos de Marte, quando surpreendi uma lição interessante. Velho orientador de entidades inexperientes e juvenis comentava a existência dos inimigos da Obra Divina e explicava-se:

– O diabo existe como personificação do desequilíbrio.

– Como poderíamos caracterizá-lo? – interrogou um dos presentes.

– É o protótipo da ingratidão para Deus – respondeu o venerável instrutor. O diabo é do Eterno o filho que menospreza a celeste herança. Recebe os tesouros divinos e converte-os em misérias letais. Das bênçãos que lhe felicita o caminho, faz maldições que estende aos semelhantes. Cego às belezas universais que o cercam, vive afirmando sua permanência no inferno, criação dele mesmo, em seu plano interior. É alma repleta de atributos sublimes que permanece, entretanto, na Obra do Pai, como gênio destruidor. É sábio de raciocínio, mas pérfido de sentimento. Seu cérebro elabora rapidamente as mais complicadas operações para a ofensiva do mal, todavia, seu coração é paralítico para o bem. Sua cabeça é fogo para a mentira, contudo, o seu peito é de gelo para a verdade. Escarra nas mãos que o acariciam, está sempre disposto a condenar, perverter e confundir os demais filhos de Deus, lançando a perturbação em geral, para que seus interesses isolados prevaleçam. Pela ciência e perversidade de que oferece testemunho, é um misto de anjo e monstro, no qual se confundem a santidade e a bestialidade, a luz e a treva, o céu e o abismo. Criatura desventurada pelo desvio a que se entregou voluntariamente é, de fato, mais infeliz que infame, merecendo, antes de qualquer consideração, nosso entendimento e piedade.

Nesse instante, em face da pausa do orientador, exclamou uma jovem do círculo, satisfeito pela possibilidade de cooperar no esclarecimento da tese em estudo:

– Conheço-o! Eu conheço o diabo!

– Você? – pergunta o instrutor, admirado. – Será possível?

– E ela, radiante, respondeu:

– Sim, já estive na Terra: Chama-se Homem!

pelo Espírito Irmão X – Do livro: Lázaro Redivivo, Médium: Francisco Cândido Xavier.

Fica até difícil comentar esse trecho da obra “Lázaro Redivivo” em psicografia de Chico Xavier devido a sua clareza e precisão em relatar o que é um demônio ou satanás pelos conhecimentos da Doutrina Espírita.

Pra quem está no plano espiritual facilmente verifica-se a existência desses seres que nada mais são do que espíritos em desequilíbrio. Por ignorância das leis da vida e da reencarnação essas “pessoas falecidas” persistem na prática da busca por sensações, por influências negativas e praticas errôneas transformando-se em verdadeiras criaturas do mal.

Como todas as ações praticadas produzem reações em igual intensidade em sentido oposto (contra) quem praticou – essas atitudes danosas irão ser revertidas para o próprio predador em uma próxima reencarnação – para assim sentir literalmente “na pele” tudo o que praticou, seja de bom, seja do mal.

Portanto as leis naturais que regem a harmonia do universo levam perante o indivíduo o recebimento da colheita obrigatória do que se plantou no passado.

Como verificamos que existem pessoas más, que influenciam, maltratam e buscam puxar pessoas com eles para a prática do mal; no plano espiritual ocorre da mesma forma, pois são espíritos desencarnados de pessoas más que continuam atormentados – buscando a prática do mal e persuadindo pessoas e espíritos para a prática do mal.

Todos podemos escolher entre o bem e o mal, entre prazeres mundanos e atividades de caridade ao próximo, entre desperdiçar o tempo ou aprender e trabalhar, resta essa decisão que somente nós podemos tomar e esperar pelas suas reações no futuro. Sejam elas boas ou más.

Nos transformar em Diabo por diversão e prazer para sofrer no futuro  ou buscar luz angelical para colher os bons frutos –  essa decisão depende inteiramente de nossa vontade e ação diária.





Gripe Suína, das aves e outras Pandemias. O que realmente devemos saber urgênte!

4 08 2009

O PLANETA ATUAL

O mundo atual e sua produção em larga escala de um tipo de produto vegetal e animal somente (monocultura) aliado ao desmatamento certamente está criando um cenário pavoroso que tende a piorar cada vez mais nesse planeta. Ninguém mais consegue plantar sem usar defensivos agrícolas danosos para todos. Poucos conseguem criar animais sem vacinas em larga escala e um alto controle veterinário.

E agora as conseqüências da ganância do homem chega a ele próprio. O inicio das reações de décadas de danos ao meio ambiente começa a sua colheita. E mesmo que o homem parasse agora com toda a poluição e desmatamento ainda sim teríamos que sofrer com essas reações, pois o início delas ocorreram desde a revolução industrial.

TODA AÇÃO POSSUI REAÇÕES

Foram mais de 700 mortos pela gripe suína no mundo, quando ainda estavam fazendo uma contagem séria, e a tendência é ainda mais tenebrosa. Infelizmente o futuro da humanidade é de muito mais sofrimento e mortes. Não precisa ser adivinho para saber o que vêm por ai. Basta usar a lógica matemática. Enquanto estiverem produzindo e desmatando irracionalmente, enquanto existirem “depósitos” de milhões de animais de uma mesma raça aglomerados sendo “cevados por hormônios” para alimento humano, doenças e mais doenças surgirão para o homem – que fica sempre a um passo atrás da solução – correndo atrás de remédios químicos depois de centenas de mortes a cada pandemia.

Solução? Inúmeras. Contudo enquanto o egoísmo ainda estiver acima de tudo estamos longe do fim.

O QUE DEVEMOS SABER URGENTE ?

A educação ambiental, higiene pessoal, alimentação sadia, hábitos saudáveis, na busca de um sistema imunológico forte, tudo é essencial. Contudo o mais urgente não é nada agradável para muitos, por simples medo. Devemos saber o que somos, de onde vimos e para onde vamos. Enfim, devemos estudar de modo científico a vida e principalmente a morte.

Pelo mundo que estamos vivenciando certamente devemos ter mais conhecimento sobre nossa existência nesse planeta. Desde antes do nascimento até depois da morte. E a Doutrina Espírita nos livros publicados que formam sua obra são bases fundamentadas em pesquisas científicas sobre esse assunto. É uma obra onde todos, de todas as filosofias e religiões devem buscar estudar e reavaliar seus paradigmas.

Quem não conheçe o Chico Xavier, uma pessoa humilde, com quarta séria primária, onde através de psicografias publicou mais de 400 livros . Desde poesias até explicações detalhadas de como é a vida no mundo espiritual.

Antes de mais nada devemos afastar o aspecto temível da morte. Existem pessoas que transferem o assunto para um futuro remoto. Contudo devemos ter a certeza de que todos morreremos um dia. Isso já é motivo bastante para estudarmos o assunto.

Três obras são de grande importância para que possamos tomar ciência de como é o processo da morte num primeiro momento:

“Livro dos Espíritos”, Allan Kardec – A obra principal da codificação do Espiritismo. Capitulo III iniciando com a pergunta 149.

“Quem tem medo da morte”, Richard Simonetti – De forma simples, objetiva, e didática Simonetti nos revela todos os segredos da morte baseado em estudos da Doutrina Espírita.

“Ninguém Morre”. Francisco Cândido Xavier – Relatos reais de mensagens de pessoas que morreram para seus familiares recebido por psicografia de Chico Xavier.

As sínteses geram grande risco de dúvidas e contestações por justamente faltar maiores detalhes. Contudo mesmo com esse risco deixo aqui alguns pontos que devemos refletir:

  • Somos espíritos eternos. Já existíamos antes de nascer e ao morrer nosso espírito continua vivo, porém sem estar preso a um corpo físico.
  • A morada definitiva dos espíritos situa-se no Plano Espiritual. A vida num corpo físico é um momento transitório evolutivo.
  • Tudo que fizermos enquanto encarnados irá produzir reações contra nós mesmos. Boas atitudes geram boas reações. Más ações igualmente sofrimentos teremos no futuro espiritual e inclusive numa próxima vida. Com ferro fere com ferro será ferido, assim se gera carmas…
  • Nosso Pai Celeste é puro amor igualmente para todos nós. Todos os nossos sofrimentos, de nascença ou não são devidos a atitudes nossas em vidas passadas, e não por maldade dos Deuses.
  • A reencarnação é deduzida pelos sofrimentos que nos acontecem, pois são reações de atitudes indevidas nossas em vidas passadas; e também deduzida pelas nossas boas e más tendências, que são reflexos de vivências nossas em vidas anteriores. Quem não viu aquele garoto de 3 anos tocando piano clássico? Certamente foi um grande músico em vida anterior.
  • Quanto mais conhecimento dessas realidades, mais fácil será o passagem para o plano espiritual, pois todo conhecimento afasta o medo.
  • A pior morte de todas é o suicídio, onde o espírito irá continuar a receber todas as sensações e dores de sua morte até sua energia vital findar, indo para uma zona obscura. Orações em favor deles ajudam muito.
  • Ao nascermos, passamos por um processo de esquecimento de todas as vidas anteriores para que possamos ter o mérito de passar por essa curta vida material produzindo boas ações.
  • Ao morrermos, aos poucos nos lembramos de todas as nossas vidas anteriores e do que inicialmente idealizávamos fazer enquanto num corpo físico. Grandes decepções surgem desse momento. Devemos estar preparados para acertar aos poucos.
  • Quem conhece a obra de Francisco Cândido Xavier, o Chico, certamente sabe que a vida após a morte existe. Fica o convite para conhecer um pouco da obra.
  • Ao morrermos, muitos ainda pensam que estão vivos, pois a energia de nosso espírito, o perispírito, toma forma de nossa última encarnação. Assim devemos ter o hábito de orar, pois todos temos um espírito protetor – um “anjo da guarda”.
  • Criou muitas dúvidas ainda? Quer acabar com o medo da morte e se preparar para quando chegar esse momento? Fica o convite para o estudo da Doutrina Espírita. Download da obra básica da codificação nos links ao lado e abaixo alguns vídeos interessantes:

Livro dos Espíritos:

Chico Xavier:

Richard Simonetti

Mensagem de Dr. Bezerra de Menezes:

“Cristãos decididos
…Estamos sendo convocados pelos Espíritos nobres para ser os lábios pelos quais a palavra de Jesus chegue aos corações empedernidos.
Estamos sendo convocados para ser os braços do Mestre, que afaguem, que se alonguem na direção dos mais aflitos, dos combalidos, dos enfraquecidos na luta.
Estamos colocados na postura do bom samaritano, a fim de podermos ser aquele que socorra o caído na estrada de Jericó da atualidade.
Nunca houve na história da sociedade terrena tantas conquistas de natureza intelectual e tecnológica!
Nunca houve tanta demonstração de humanismo, de solidariedade, tanta luta pelos direitos humanos!
É necessário, agora, que os cristãos decididos arregacem as mangas e ajam em nome de Jesus.
Em qualquer circunstância, que se interroguem: – em meu lugar que faria Jesus?
E, faça-o, conforme o amoroso Companheiro dos que não têm companheiros, faria.
Filhos da alma!
Estamos saturados de tecnologia de ponta, graças, à qual, as imagens viajam no mundo quase com a velocidade do pensamento, e a dor galopa desesperada o dorso da humanidade em desalinho.
O Espiritismo veio como Consolador para erradicar as causas das lágrimas.
Sois os herdeiros do Evangelho dos primeiros dias, vivenciando-o à última hora.
Estais convidados a impregnar o mundo com ternura, utilizando-vos da compaixão.
Periodicamente, neste planeta de provas e expiações, as mentes em desalinho vitalizam microorganismos viróticos que dão lugar a pandemias  destruidoras.
Recordemo-nos das pestes que assolaram o mundo: a peste negra, a peste bubônica, as gripes espanhola, a asiática e a deste momento de preocupações, porque as mentes dominadas pelo ódio, pelo ressentimento, geram fatores propiciatórios à manifestação de pandemias desta e de outra natureza.
Só o amor, meus filhos, possui o antídoto para anular esses terríveis e devastadores acontecimentos, desses flagelos que fazem parte da necessidade da evolução.
Sede vós aquele que ama.
Sede vós, cada um de vós, aquele que instaura o Reino de Deus no coração e dilata-o em direção da família, do lugar de trabalho, de toda a sociedade.
Não postergueis o dever de servir para amanhã, para mais tarde.
Fazei o bem hoje, agora, onde quer que se faça necessário.
As mães afro-descendentes, as mães de todas as raças, em um coro uníssono, sob o apoio da Mãe Santíssima, oram pela transformação da Terra em Mundo de Regeneração.
Sede-lhes filhos dóceis à sua voz quão dócil foi o Crucificado Galileu que, ao despedir-se da Terra, elegeu-a mãe do evangelista do amor, por extensão, a Mãe Sublime da Humanidade.
Muita paz, meus filhos.
Que o Senhor de bênçãos nos abençoe.
O servidor humílimo e paternal de sempre,
Bezerra”

(Mensagem psicofônica recebida pelo médium Divaldo Pereira Franco, ao final da conferência pública em torno da maternidade, realizada no Grupo Espírita André Luiz, no Rio de Janeiro, na noite de 13 de agosto de 2009.)