Dicas para ser aprovado em Concursos Públicos – Com Bases na Doutrina Espírita. ( Parte I )

17 07 2014

Livro dos Espíritos - Allan KardecIntrodução

Este artigo busca auxiliar o candidato a melhorar seus estudos e obter sucesso profissional através de atitudes até então desconhecidas por muitos – por se tratar de contribuições da Doutrina Espírita – ou seja, dicas do plano espiritual para que possamos melhorar nosso rendimento mental em todos os aspectos.

Muitos leitores devem estar pensando nesse momento “isso é impossível, vou perder meu tempo…”. Então, antes de entrar nas dicas, verificamos alguns esclarecimentos sobre como foi elaborada a Doutrina Espírita para evitar algum tipo de preconceito ou confusão com outros segmentos ideológicos:

O que é Doutrina Espírita (Espiritismo) ?

Assim como temos Biologia, Física, Química, Espiritismo é a ciência que estuda os espíritos e o mundo espiritual através do método científico organizado e codificado nos livros publicados em inicialmente em Paris, por Allan Kardec. A Doutrina possui consequências filosóficas e religiosas. Não tem dogmas, danças, rituais, nem cultos. Maior representante no Brasil do ramo religioso da Doutrina foi o Chico Xavier.

Obs.: Não confundir com religiões espiritualistas (candomblé, umbanda, mesa branca, etc.)

“Do mesmo modo que a Física, a Química, a Astronomia, a Geologia revelaram as leis do mundo material, o Espiritismo revela outras leis desconhecidas, as que regem as relações do mundo corpóreo com o mundo espiritual, leis que, tanto quanto aquelas outras da Ciência, são Leis da Natureza.” –  Allan Kardec

O que é Método Científico ?

O método científico consiste no registro pela observação, repetição e assim constatação de fatos.

Aprofundando esse método em novos pontos, podemos correlacionar o método científico atual com a pesquisa de Allan Kardec para melhor entendimento de como foi elaborado a Doutrina Espírita e termos segurança nas dicas posteriores:

Observação – Uma observação pode ser feita de forma simples, ou seja, é realizada a olho nu, ou pode utilizar-se de instrumentos apropriados. Todavia, deve ser controlada com o objetivo de que seus resultados correspondam à verdade e não a ilusões advindas das deficiências inerentes próprias dos sentidos humanos em obter a realidade.

  • Allan Kardec iniciou os estudos em Paris e EUA onde fenômenos inexplicáveis aconteciam, como mesas que giravam sozinhas, cadeiras e barulhos produzidos espontaneamente. Iniciou-se as observações na tentativa de buscar a realidade dos fatos.

Descrição – O experimento necessita ser replicável (capaz de ser reproduzido). É importante especificar que fala-se aqui dos procedimentos necessários para testarem-se as hipóteses, e não dos fatos em si, que não precisam ser antropogenicamente reproduzidos, mas apenas verificáveis.

  • Allan Kardec verificou que a repetição dos fenômenos até aquele momento paranormais aconteciam com frequência. Foi identificado que existia uma inteligência por trás dos sons e movimentos dos objetos, pois respondiam ao contato verbal. Iniciou-se um trabalho de comunicação primitiva com tais movimentos, que seriam efeitos de uma inteligência desconhecida até então. Com maiores “entrevistas” através dos movimentos dos objetos, utilizando-se de toques para contar as letras e formar frases, verificou-se tratar de espíritos, ou seja, pessoas já falecidas que se comunicam através de mecanismos ainda a serem estudados naquele momento inicial.

Previsão – As hipóteses precisam ser tidas e declaradas como válidas para observações realizadas no passado, no presente e no futuro.

  • Allan Kardec verificou que os fenômenos ocorriam em mais de um local, em cidades diferentes, países diversos, com pessoas diferentes, em tempos diferentes.

Controle – Para maior segurança nas conclusões, toda experiência deve ser controlada. Experiência controlada é aquela que é realizada com técnicas que permitem descartar as variáveis passíveis de mascarar o resultado.

  • Allan Kardec com maiores estudos desenvolveu a comunicação com os espíritos, pois descobriu-se que existiam certas pessoas que eram capazes de entrar mais facilmente em contato com os espíritos – tais pessoas forma classificadas como médiuns. E novas técnicas, como a psicografia foram utilizadas para se comunicarem de forma mais ágil.

Falseabilidade – toda hipótese deve conter a testabilidade, e por tal falseabilidade ou refutabilidade. Isso não quer dizer que a hipótese seja falsa, errada ou tão pouco dúbia ou duvidosa, mas sim que ela pode ser verificada, contestada. Ou seja, ela deve ser proposta em uma forma que a permita atribuir-se a ela ambos os valores lógicos, falso e verdadeiro, de forma que se ela realmente for falsa, a contradição com os fatos ou contradições internas com a teoria venha a demonstrá-lo.

  • Allan Kardec tinha dúvidas sobre a total integridade das comunicações. Como saber se aquelas palavras eram cem por cento de origem de um espírito e não continha palavras ali que eram dos pensamentos do próprio médium (pessoa que recebia as comunicações) ? Allan Kardec então passou a repetir as entrevistas ao mesmo espírito (desencarnado), utilizando-se de pessoas (médiuns) diferentes, em locais diferentes. Assim comparava as respostas e eliminava qualquer vício de linguagem do médium, garantindo respostas cem por cento provenientes do plano espiritual. Iniciou-se a Codificação da Doutrina Espírita, formada inicialmente pelo livro “O Livro dos Espíritos”.

Explicação das Causas – Em todas as áreas da ciência a causalidade é fator chave , e não tem-se teoria científica – ao menos até a presente data – que viole a causalidade. Nessas condições os seguintes requisitos são vistos como importantes no entendimento científico:
•    Identificação das causas
•    Correlação dos eventos – As causas precisam ser condizentes com as observações, e as correlações entre observações e evidências devem realmente implicar relação de causa efeito .
•    Ordem dos eventos – As causas precisam preceder no tempo os efeitos observados.

Obviamente que a certeza máxima de Allan Kardec no início das observações das mesas que giravam e dos barulhos produzidos era que aqueles efeitos físicos teriam necessariamente existir uma causa primária.
À medida que os “toc-toc” nos móveis das casas passaram a responder como sim e não, foi identificada como causa daqueles efeitos uma inteligência invisível aos olhos, mas capaz de interagir com o meio físico.
Mesmo com as explicações dos próprios espíritos para Allan Kardec, a grande dificuldade da Comunidade Científica atual está exatamente nessa ponte entre inteligência intangível, ou energia fluídica espiritual – interagindo com o meio físico produzindo sons, movimentos.
Como validar e correlacionar os eventos de causa e efeito de fenômenos físicos originários de uma causa espiritual?
Os cientistas conseguem até o momento apenas fotografar a mente humana e filmar os pulsos mentais, mas ainda não entende como a alma se liga a matéria.
Allan Kardec ciente dessa dificuldade, tratou o assunto com muita cautela, buscando com a repetição dos fatos espirituais – manter essa validade. Até os dias de hoje, tais fatos ocorrem, e podem ser repetidos. Infelizmente a comunidade científica ainda não teve interesse no assunto, mas os próprios espíritos já informaram que um dia tal correlação será comprovada pelos cientistas.

Vejamos a cautela de Allan Kardec no trecho abaixo…

(…)“Eis que os efeitos ou fenômenos evidentes e incontestáveis que se produzem fora do círculo habitual de nossas observações não se processam misteriosamente, mas sim à luz do dia, e todos podem vê-los e constatá-los, porque não são privilégio de um único indivíduo, uma vez que milhares de pessoas os repetem todos os dias à vontade.
Esses efeitos têm necessariamente uma causa, e a partir do momento que revelam a ação de uma inteligência e de uma vontade saem do domínio puramente físico.
Muitas teorias foram anunciadas a esse respeito. Elas serão examinadas em seguida e veremos se podem fornecer a razão de todos os fatos que se produzem. Admitamos, em princípio, antes de chegar até lá, a existência de seres distintos da humanidade, uma vez que esta é a explicação fornecida pelas inteligências que se revelam, e
vejamos o que nos dizem. (…)” (Allan Kardec, Livro dos Espíritos, cap.5,pg.17. FEB)

Devido a  Doutrina Espírita tratar-se de um assunto para ser estudado por toda uma vida, deixo abaixo alguns links para quem quiser se aprofundar no assunto.

O que é Espiritismo – Wikiédia – http://pt.wikipedia.org/wiki/Espiritismo

Afinal o que é Espiritismo – http://www.espirito.org.br/portal/doutrina/afinal-o-que-eh-espiritismo.html

Download Livros Gratuito Codificação Espírita – http://www.espirito.org.br/portal/codificacao/index.html

Qual dúvida sobre a Doutrina Espírita basta perguntar  no comentário e tentarei responder.

Agora podemos verificar as dicas.

 

DICAS – PARTE I

 

As barreiras invisíveis

Muitas pessoas forçam determinado caminho na vida, por anos a fio, e simplesmente não conseguem. E outras com mais facilidade, menos esforço e dedicação conseguem. Injustiça ? Não.

Devemos ampliar nosso olhar crítico, não apenas para uma existência (a atual), mas sim perceber que somos muito mais do que esta vida.

Basicamente temos três momentos:

1° Momento:  Já possuímos vidas anteriores a esta, com todas suas vivências, experiências e atos positivos e negativos registrados em nosso subconsciente de agora como vocações, boas e más tendências.

2° Momento:  Temos a vida atual, no presente, gerando ações a todo instante com efeitos a cada segundo construindo o futuro.

3° Momento:  E ainda iremos ter outras vidas posteriores a esta atual, onde ainda receberemos efeitos do passado na construção de um novo futuro, somados pelo nosso livre-arbítrio nas ações do momento atual.

Devemos ter a noção então de que esta vida atual (2° momento) possui muitos acontecimentos originados de causas de vidas passadas. Colhemos os frutos, ou seja, os efeitos de nós mesmos. Assim, determinadas situações de sofrimento, que não temos como evitar, em sua maioria foram produzidas por nós mesmos em vidas anteriores a esta. Agora resgatamos.

No quesito “carreira profissional” portanto também colhemos influências do passado. Podem ocorrer casos de carreiras profissionais desgastantes e sofridas que são resgates de ações em vidas passadas. Mas como não temos condições de saber o que é “carma”, obviamente que devemos nos esforçar ao máximo para o sucesso.

Afinal nenhum grande edifício está livre da colocação do primeiro tijolo.

Contudo, essa situação explica certos fracassos inexplicáveis. Devemos passar por eles com cabeça em pé, persistindo e criando sempre novas estratégias.

Como não sabemos o que fomos e o que “aprontamos” nas vidas passadas, não podemos prever agora o que teremos que “pagar”, ou seja, resgatar para estarmos livres para novas vivências e provas.

Devemos ainda ter ciência de que com o livre-arbítrio no momento atual podemos sempre criar novos efeitos futuros pela ação, mesmo indo “contra a maré” do destino, se assim posso dizer.

Obviamente que existem muitos fracassos profissionais devido a falta de ações nessa vida atual, pela falta de persistência, foco, e metas bem definidas, pois o planejamento é muito importante.

“Se eu tivesse oito horas para derrubar uma árvore, passaria seis afiando o meu machado.”  Abraham Lincoln

E uma grande maneira de melhorar essa situação que carregamos quanto a nossas atitudes e ações erradas em vidas passadas é a caridade. Praticando a caridade, verdadeiramente, geramos ações positivas que amenizam as ações negativas desta e de vidas passadas. Assim é que realmente conseguimos o perdão. Dessa forma poderemos até mesmo superar a maré contrária, mesmo que seja com mais esforço e mais tempo do que um outro colega. Ou seja, prática da caridade e persistência abre caminhos para o sucesso.

” Antes de tudo, mantende entre vós uma ardente caridade, porque a caridade cobre a multidão dos pecados {Pr 10,12}. ”  Pedro 4:8

Antes de tudo, mantende entre vós uma ardente caridade, porque a caridade cobre a multidão dos pecados {Pr 10,12}.1 Pedro 4:8
Antes de tudo, mantende entre vós uma ardente caridade, porque a caridade cobre a multidão dos pecados {Pr 10,12}.1 Pedro 4:8

 

Objetivo Bem Definido

Em muitos casos, antes mesmo de nascermos, quando ainda estamos no plano espiritual, traçamos um objetivo de vida, metas para serem alcançadas, problemas para serem superados, resgates para serem somados objetivando a elevação moral e intelectual do indivíduo. Nascemos assim na família que merecemos e estaremos em contato com grupos sociais que necessitamos para que essa elevação seja oportunizada.

Nossas vocações são em maioria bagagem adquirida em vidas passadas. Pessoas que facilmente tocam piano certamente tiveram uma vivência na música em vida anterior a esta.

Dessa forma, percebemos que nossos aprendizados e vivências profissionais são muito importantes, elas simplesmente não se apagam, mas transformam-se em vocações e qualidades em vidas futuras !

Estudar nunca é muito e o saber nunca é suficiente ! O infinito está diante de nossas mãos para tentar.

Por isso, devemos antes de tudo, regularmente procurar meditação e oração em local calmo para estarmos planejando um objetivo profissional com razão e coração.

Não necessariamente usaremos nossas habilidades profissionalmente, pois muitas vezes planejamos novas aquisições intelectuais em áreas diferentes com qual passamos em vidas anteriores. Daí aquele grande pianista, que aprendeu tudo “sozinho”, não seguir carreira na área da música… é muito comum.

 

Ambiente

Como podem verificar pelas explicações de pré-requisito acima, o assunto é complexo, bem fundamentado e apesar disso – este artigo é bem resumido – até demais, visto a complexidade das situações. Por isso, estarei indicando links de conteúdos maiores, artigos, livros etc.

As dicas que todos conhecem, como, ter um local adequado, desligar aparelhos celulares, avaliar seu rítimo de estudo… essas dicas não estão aqui. Afinal basta pesquisar na internet que acharemos dezenas de sites com dicas tradicionais. Não que elas sejam menos importantes, mas as dicas que iremos abortar não estão em local algum na internet.

As dicas para termos sucesso nos estudos, nesse caso, são de ordem espiritual com bases nos estudos do Espiritismo.

Nesse quesito, presumo que o leitor não tenha conhecimento nenhum sobre a Doutrina Espírita. Caso o tenha, melhor ainda.

Dessa forma podemos relatar de imediato que somos também espíritos, mas presos ao corpo físico. E nesse estado atual sofremos influência significativa do plano espiritual, apesar da maioria das pessoas não perceberem.

A primeira coisa que devemos ter em mente é que quase nunca estamos sozinhos. Companhias espirituais estão em sintonia com nossa mente a todo momento. Essas inteligências podem ajudar ou atrapalhar nossa concentração. Podem influenciar, em maior ou menor grau nossos pensamentos.

Sim, muitos dos “nossos” pensamentos não são nossos.

Qualquer dúvida sobre o assunto recomendamos o estudo do “Livro dos Espíritos” que trata de maneira completa o assunto. Como neste artigo os tópicos são muito resumidos, obviamente não levará ao leitor todo o contexto de detalhes da codificação Espírita.

“Ambiente limpo não é o que mais se limpa e sim o que menos se suja.”  Chico Xavier.

Vamos portanto ao que nos interessa no momento:

Assim devemos ter ciência de meios para evitarmos interferências negativas do plano espiritual. Certamente a concentração e foco no estudo irá ser muito melhor.

Outra questão cabe ao corpo físico. Nosso corpo físico possui pontos de força que nos ligam ao corpo espiritual. Tais pontos de força se utilizados erradamente provocam desarmonia e podem afetar diretamente nosso raciocínio mental.

São três ações básicas para melhorar nossas companhias espirituais e melhorar o ambiente de nossa residência e a nós mesmos.

A primeira atitude é modificar nossa faixa vibratória de nossos pensamentos. Essa mudança começa pela prática da caridade como rotina. Em um Grupo Espírita, um dia por semana é destinado a atendimento a pessoas carentes. Fazer parte de um grupo de trabalhos voluntário como esse é altamente favorável para o melhoramento pessoal. Em seguida procurar no dia-a-dia atividades produtivas e buscar pelo autoconhecimento meios de detecção de defeitos morais e busca por melhoramento íntimo.

A segunda é higienizar o ambiente do lar através de estudo específico e sistemático uma vez por semana. Esse estudo é chamado de Culto do Lar. Pode ser feito por qualquer pessoa, de qualquer filosofia, mas é importante para se ter uma casa protegida.

A terceira é integrar-se a uma prática ou ter alguma atitude que possa sentir-se renovado energeticamente. Para quem é Espírita, na Casa Espírita temos o “passe” e a oferta da “água fluidificada” que harmonizam e repõe a energia. Cada Religião deve ter recursos de reposição, mesmo com outro nome. Para quem não é religioso, muitas vezes estar em um local perto da natureza, um banho de mar, um passeio numa floresta com momento de oração intima, certamente já basta para fazer essa harmonização. Mas isso deve ser regularmente feito.

Nos links abaixo dispomos de mais informações sobre essas atitudes a serem tomadas:

1) Reforma Íntima

https://joanadarc.wordpress.com/?s=reforma+%C3%ADntima

2) Culto do Lar

https://joanadarc.wordpress.com/category/culto-no-lar/

3) Sobre Caridade

https://joanadarc.wordpress.com/2007/08/20/a-maneira-certa-de-fazer-uma-caridade-material/

Com essas atividades que devem ser sistemáticas e contínuas, somadas ao estudo regular do conteúdo tradicional para alcançar o objetivo, certamente nossas metas serão alcançados. Pode não ser exatamente como sonhamos, mas tenhamos certeza de que se estamos agora criando causas importantes, como – estudar um bom material, buscar melhoramento íntimo, praticar culto no lar, fazer caridade regularmente – num futuro próximo as reações disso é uma LEI.

Não há efeitos sem causa, nem causas sem efeitos. Tudo que praticamos de positivo agora, de merecedor e com coragem e determinação, cedo ou tarde iremos sentir seus frutos surgirem.

 Na segunda parte das dicas estarei aprofundando certas situações acima descritas e oportunizando ainda mais certos meios de aproveitarmos melhor nossos momentos de aprendizagem.

Até breve. Deixo abaixo um vídeo bem didático sobre a Doutrina Espírita para iniciantes.

 

Anúncios




O que é Espiritismo então ?

13 04 2007

Livro dos Esp�ritos - Allan Kardec  Codificação da Doutrina Espírita. Início no ano de 1853 em Paris por Allan Kardec.

Não é uma religião !? O que é Espiritismo então ?
O Espiritismo não é apenas uma religião, é uma filosofia de vida calcada na ciência, na observação dos fatos, estudo e comprovação. Nós somos espíritos encarnados, presos ao corpo e se o leitor dedicar um pouco de tempo numa pesquisa com certeza encontrará provas concretas de que também existem espíritos que não mais estão presos ao corpo. O Chico Xavier é prova disso. Como alguém com estudo primário poderia escrever 400 livros, entre muitos, somente pode ser feita uma leitura fluente com um dicionário ao lado!
Portanto leitor não há mais tempo para dúvidas, o raciocínio lógico nos leva ao Espiritismo – o Consolador prometido por Jesus em tantas passagens na Bíblia, através do Espírito da Verdade, Allan Kardec codificou todos os ensinamentos e verdades do universo. As pessoas na época de Jesus não estavam preparados para essa verdade, mas nós agora estamos.

Fica muito evidenciado na mensagem de Jesus a certeza da vinda futura do Espiritismo – o Consolador. Diga-se que toda obra Espírita originou-se do plano espiritual, sendo a obra principal ( O Livro dos Espíritos) organizada e codificada por Allan Kardec – utilizando vários médiuns de locais diferentes onde as mesmas perguntas eram feitas ao Espírito da Verdade e comparadas para sua exata precisão e veracidade antes de ser colocada na obra.

JOÃO 16,7 – “Todavia, digo-vos a verdade, convém-vos que eu vá; pois se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, se eu for, vo-lo enviarei. “

JOÃO 15,23 – “Quando vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que do Pai procede, esse dará testemunho de mim;”

“É um paradoxo a terra se mover ao redor do sol e a água ser constituída por dois gases altamente inflamáveis. A verdade científica é sempre , se julgada pela experiência cotidiana que se agarra à aparência efêmera das coisas.”

Karl Marx

Abaixo uma obra completa sobre o tema.

Download Livro – O que é Espiritismo.  http://www.oconsolador.com.br/linkfixo/bibliotecavirtual/oqueeoespiritismo.pdf


Espiritismo explicando…

Interrogavas em torno dos entes amados, além do tumulo.
A Doutrina Espírita dissipou-te as duvidas, explicando que o sepulcro não é o fim, tanto quanto o berço não é o princípio, e que toda criatura, ao desenfaixar-se dos laços físicos, prossegue na marcha de aprimoramento e ascensão do ponto evolutivo em que se achava na Terra.

Interpelavas o campo religioso a cerca da Justiça divina.
A Doutrina Espírita suprimiu-te a inquietação, explicando que Deus não concede privilégios e que, em qualquer estância do Universo, a alma recebe, inelutavelmente, da vida o bem ou o mal que dá de si própria.

Torturavas a mente, qual se devesse respirar em cárcere de mistério, toda vez que cogitavas das questões transcendentes da fé.
A Doutrina Espírita acalmou-te, explicando que ninguém pode violentar os outros em matéria de crença, acentuando, porém, que toda fé, para nutrir-se de luz, deve ser raciocinada em base de lógicas, porquanto, diante das Leis divinas, cada consciência é responsável pelos próprios destinos.

É necessário valorizar a doutrina que generosamente nos valoriza. Sustentar-lhe a integridade e a pureza perante Jesus, que a chancela, é procurar o nosso aperfeiçoamento e trabalhar por nossa união.

Transcrito do livro “Justiça Divina”, pelo espírito Emmanuel e psicografado por Chico Xavier, capítulo 5. Esta obra desdobra o livro “O Céu e o Inferno”, de Allan Kardec.


Palestra sobre – O que é Espiritismo…


Nota: Há dez anos escrevi esse artigo, quando o Livro dos Espíritos completava 150 anos. Atualizando hoje o artigo, nos 160 anos, de um Livro Estrelar, um Livro escrito por Espíritos muito superiores a todos nós – que desvenda todos os mistérios – para que possamos ter uma fé raciocinada na lógica de nossos atos construindo o nosso próprio futuro.