Nossa meta de vida para os próximos 500 anos.

7 06 2015

Muitos ao verificar o título desse pequeno artigo pode achar que isso é loucura… Mas vamos com calma…

No artigo anterior, sobre algumas dicas baseadas na Doutrina Espírita para passar em concursos públicos, falei sobre “ter objetivo bem definido” a nível profissional. Saber qual área seguir, qual concurso investir, e finalmente quais matérias essenciais estudar, mesmo sem previsão de concurso específico, com isso, o concurseiro estará com uma boa base geral para atingir a meta.

“Não faça com que a pressa de colher estrague o seu momento de plantar” (Teilhard de Chardin)

Contudo com os esclarecimentos da Doutrina Espírita, verificamos que todos nós já tivemos vivências anteriores a esta vida e estamos a cada segundo gerando efeitos para o futuro. Mas não apenas o futuro a curto, médio e longo prazo desta vida… E sim gerando efeitos para vidas futuras com nossas ações de agora.

Mesmo para quem já tem conhecimento da Doutrina Espírita, muitos ainda não pensaram sobre isso. Mas o planejamento é muito importante para nossa própria felicidade. Registrar num diário um planejamento de ações e atitudes certamente irá ajudar o indivíduo a colher bons frutos no futuro.

 Na obra “Livro dos Espíritos”, encontramos a seguinte recomendação do Espírito Santo Agostinho:

“Fazei o que eu fazia quando vivi na Terra: no fim de cada dia interrogava a minha consciência. Passava em revista o que havia feito e perguntava a mim mesmo se não tinha faltado ao cumprimento de algum dever. Se ninguém teria tido motivo para se queixar de mim. Foi assim que cheguei a me conhecer e ver o que em mim necessitava de reforma.”

Para quem não conhece a Doutrina Espírita, talvez tenha que primeiramente avaliar a questão da reencarnação, pois é um assunto mais polêmico e muitos tem resistência em admitir tal possibilidade. Mesmo olhando para nós mesmos, verificando que todos temos boas e más tendências desde o nascimento, é difícil compreender que tais vivências registradas no subconsciente desde o nascimento na realidade foram adquiridas em vidas passadas a esta. Para quem busca se aprofundar no tema reencarnação para refletir sobre o assunto temos o artigo  Provas da Reencarnação.

Com essa questão refletida podemos então iniciar um planejamento não apenas de dez, vinte ou cinquenta anos a frente, mas podemos pensar em planejar o que queremos para nós por quinhentos, oitocentos, mil anos a frente !

A felicidade é a busca de todos os seres humanos, mesmo sendo um conceito diverso para cada tipo de pessoa, todos queremos ser felizes de um certo jeito. Mas o que é felicidade e como consegui-la ?

Para isso temos uma receita nos fornecida pelos próprios Espíritos Superiores no Livro dos Espíritos na pergunta 922 de Allan Kardec:

922 – A felicidade terrena é relativa à posição de cada um; o que é suficiente para a felicidade de um faz a desgraça de outro. Há, entretanto, uma medida comum de felicidade para todos os homens?

  R:   – Para a vida material, a posse do necessário; para a vida moral, a consciência pura e a fé no futuro.

Com essa importante receita podemos planejar uma vida com equilíbrio. Não adianta o indivíduo conseguir boa vida material desonestamente agora para depois necessitar resgatar tal dívida como miserável em outra reencarnação… A verdadeira felicidade não está nos objetos materiais. Como muitos objetos de adoração capitalista são difíceis de alcançar, como Iates e mansões, é comum pensarmos que “possuir ” tais objetos é a felicidade.

Então podemos começar a escrever um esboço de como alcançar a meta da felicidade plena, a felicidade que ainda não é possível sentir nesse planeta, mas que pode ser construída desde agora, mesmo se já praticamos muitas faltas no passado.

Para alavancar essa meta nos próximos 500 anos temos que começar já com algumas medidas para serem praticadas durante nossa vida de agora:

1) superar nossos defeitos – disciplinando-os;

2) resgatar dívidas pretéritas – sem revolta;

3) resistir com sucessos em nossas provações;

4) praticar caridade verdadeiramente.

Parece simples, mas não é.

O orgulho que todos temos, geralmente nos impede de ver e sentir nossos próprios defeitos. As relações de casamento e convívio familiar – que são as maiores chances de descobrir nossos defeitos – são desperdiçadas com intolerância e incompreensão.

Quando sofremos uma perda física ou material geralmente nos revoltamos até mesmo contra Deus e nos afastamos de todo o benefício do Alto. A maior concentração de renda é buscada a todo o custo gerando um sentimento de amargor, pois dinheiro nunca é muito.

Quando surgem oportunidades de tirar vantagem alheia, receber uma propina, burlar uma Lei, usar notas frias, praticar pequenos delitos (não respeitar direitos autorias, furar uma fila,etc) geralmente caímos na tentação, pois “se eu não fizer, outro faz” …

E assim ficamos ainda mais distantes da verdadeira meta de real felicidade, pois estamos gerando novas situações negativas para nossa própria vida futura, com mais dor e perdas… dessa forma se não for nessa vida teremos que resgatar nas próximas, pois a colheita é obrigatória.

Nesse período de quinhentos anos, se tivermos sorte e muita vontade, poderemos reencarnar algumas vezes e ter a chance de resgatar mais dívidas e melhorar ainda mais nosso ser moral e intelectual para nossa própria evolução, encurtando a distância da real felicidade.

Lembrando ainda que ” o amor cobre uma multidão de pecados”, dessa forma podemos iniciar agora com a prática do bem em suas inúmeras formas as ações que irão buscar o verdadeiro perdão e resgate de nossas faltas.

PERDAO

A Doutrina Espírita promove inúmeros recursos através do Verdadeiro Centro Espírita – atuando como um agente facilitador de nossa busca pela felicidade, dispondo a oferta de trabalho voluntário para nos engajarmos e fornecendo estudos sistemáticos sobre tudo que o plano espiritual busca nos ensinar. Planejar uma rota segura para os próximos quinhentos anos, fica mais fácil… e a verdadeira felicidade, mais perto.

—————————————————–

https://joanadarc.wordpress.com/?s=felicidade

 





Insatisfação pessoal ? Observemos as lições da vida.

11 02 2014

flor

Decepcionado comigo mesmo, pela minha dificuldade de atenção e memória, estava triste, pois indiretamente o problema afetava a toda minha família pela dificuldade no trabalho. Simplesmente não conseguia atender minhas expectativas.

No dia seguinte contudo, fui convidado a fazer uma caridade levando meu sogro a cortar seus poucos cabelos em uma praia a uma hora de carro. Aceitei de imediato para tentar produzir alguma coisa ocupando meu tempo, afinal dirigir sempre foi um prazer.

Viagem cansativa, quebra molas e aquelas coisas de brasileiro… falta de educação, poeira, buracos,… Contudo ao chegar revigorei minha alma ao respirar aquele oxigênio livre do mundo civilizado. Quanto diferença!

Parei em frente ao “barbeiro” tão especial e fui a uma papelaria que era perto para tentar comprar material para fazer o avião de isopor que já descrevi nesse blog…

Para minha surpresa tinha todos os tipos de isopor, acabei comprando ainda mais algumas coisas. Um bom achado.

Beleza, ao retornar para o carro, ainda tinha duas pessoas na frente aguardando… O “barbeiro” era do tipo perfeccionista! Garoto novo, por minha surpresa ao prestar mais atenção – não passava de uns 20 anos. Pensei comigo mesmo:

_ O que é o dom…. A pessoa no lugar certo e na hora certa fazendo o que gosta se torna imbatível, ao ponto de sair da minha cidade e viajar uma hora para cortar umas pontinhas de cabelo ralo… por palavras próprias…

_ O rapaz é muito bom! Melhor não há! Cortei na cidade com um senhor muito conhecido e não gostei nem um pouco!

Aguardando então, comecei a anotar os poucos acontecimentos a minha volta. Ainda amargurado com meus problemas vi pelo retrovisor do carro um grupo de três amigos, gargalhando, conversando, gesticulando muito, felizes – porém sem um som. Silêncio do vento apenas, mas pareciam produzir uma algazarra! Ao passar ao meu lado vi que praticavam a linguagem dos sinais e riam silenciosamente naquela brisa pura da espuma do mar batendo ao som suave de fundo. Anotei. Se foram…

Duas jovens meninas procurando uma casa, tipo perdidas, passaram, tocaram campainha, errado, sem direção, foram…

Mais uma olhada e passa um senhor de calça jeans clara, sem camisa pedalando uma bicicleta super tranquilo.

Nada de estranho se não estivesse pedalando com uma perna somente. A outra percebi que era postiça – não a possuía o membro…

Que habilidade, adaptação, superação e autoestima….

E as meninas passaram no outro quarteirão na vertical subindo ao mar. Fitei-as por um momento até ao verificar um senhor na faixa de uns 40 anos passar numa cadeira de rodas motorizada como fazendo um bordejo matinal, sozinho, sorrindo, olhando o mar… Imediatamente parei. Que coisa estranha…. A vida quer me dizer algo, é coincidência demais ! Pensei em meu carma da memória e minha amargura contra tudo que estava acontecendo na minha frente ali …. Minha voz dizia:

_ Veja caro Claudinho, são casos bem mais complicados, todos adaptados as suas deficiências e você ai super forte e com reflexos a mil se amargurando!!! Que vergonha! Olhe! Criaram outras habilidades para compensar e estava ali, felizes, tranquilos, motivados e com autoestima alta…

… As mesmas jovens meninas cruzaram minha frente novamente com ar de perdidas desistindo da busca e descendo a rua, partiram.

_ Hmmm os “sadios” parecem perdidos e os deficientes físicos irradiam força, certeza e direção… Que boa lição recebi nesse passeio, pensava até que – pronto – porta do carro aberta, meu sogro feliz pela perfeição do corte, fui embora, mas não sem antes a pedido ainda ter que parar em uma casa, de uma família humilde para dar um biscoito por ele comprado… Ups…Mais outra lição, pensei comigo…

Comecei assim a criar compensações para minha memória – achando um começo: a criatividade…

______________________

Esse texto escrevi em 2008 e achei em meus rascunhos agora.  Dedico esse artigo ao Joaquim Freitas, que se encontra no plano espiritual.  Obrigado pelas lições! Hoje, atuo como Consultor Contábil e ingressei em emprego público em 2012.





A verdadeira e difícil missão

3 07 2013

reformaintima

Como EX-Católico achei muito interessante o texto abaixo do André Luiz (aquele espírito do Nosso Lar) onde resume o objetivo do Espiritismo. O texto toca justamente na ferida – a reforma íntima.

A RIGOR …

Espírito Santo – falange dos Emissários da Providência que superintende os grandes movimentos da Humanidade na Terra e no Plano Espiritual.

Reino de Deus – estado de sublimação da alma, criado por ela própria, através de reencarnações incessantes.

Céu – esferas espirituais santificadas onde habitam Espíritos Superiores que exteriorizam, do próprio íntimo, a atmosfera de paz e felicidade.

Milagre – designação de fatos naturais cujo mecanismo familiar à Lei Divina ainda se encontra defeso ao entendimento fragmentário da criatura.

Mistério – parte ignorada das Normas Universais que, paulatinamente, é identificada e compreendida pelo espírito humano.

Sobrenatural – definição de fenômenos que ainda não se incorporam aos domínios do hábito.

Santo – atributo dirigido a determinadas pessoas que aparentemente atenderam, na Terra, a execução do próprio dever.

Tentação – posição pessoal de cativeiro interior a vícios instintivos que ainda não conseguimos superar por nós mesmos.

Dia de juízo – oportunidade situada entre dois períodos de existência da alma, que se referem à sementeira de ações e à renovação da própria conduta.

Salvação – libertação e preservação do espírito contra o perigo de maiores males, no próprio caminho, a fim de que se confie à construção da própria felicidade, nos domínios do bem, elevando-se a passos mais altos de evolução.

O Espiritismo tem por missão fundamental, entre os homens, a reforma interior de cada um, fornecendo explicações ao porquê dos destinos, razão pela qual muitos conceitos usuais são por ele restaurados ou corrigidos, para que se faça luz nas consciência e consolo nos corações. Assim como o Cristo não veio destruir a Lei, porém cumpri-la, a Doutrina Espírita não veio desdizer os ensinos do Senhor, mas desenvolvê-los, completá-los e explicá-los “em termos claros e para toda a gente, quando foram ditos sob forma alegóricas”.

A rigor, a verdade pode caminhar distante da palavra com que aspiramos a traduzi-la.

Renove, pois, as expressões do seu pensamento e a vida renovar-se-lhe-á inteiramente, nas fainas (afazeres) de cada hora.

* pelo Espírito André Luiz – Do livro: O Espírito da Verdade, Médium: Francisco Cândido Xavier





Carência Afetiva dos filhos

5 01 2012

Não é difícil verificar a carência afetiva nas crianças nos dias atuais. Os pais trabalham numa jornada de trabalho altíssima forçando na maioria das vezes os filhos a frequentarem creches ou estar na casa de parentes durante um período excessivo.

E quando os pais chegam, os assuntos e tarefas da casa impedem a devida atenção aos filhos.

Quando finalmente dispõem de tempo muitos pais não se interessam em usar de seu tempo livre para brincar com seu filho.

Dos brinquedos que deu para seu filho, quantos você brincou com ele ?

Outras vezes não é culpa diretamente dos pais, o cansaço do dia atrapalha. Contudo em muitas horas livres os pais preferem trocar a dedicação para o filho por um programa de televisão, conversa no celular, ou mesmo a internet.

Se estivesse no lugar do seu filho você acha que o tempo que brinca com ele é suficiente?

Devemos lembrar que a criança na idade infantil torna-se branda, acessíveis ao conselhos da experiencia e dos que devam fazê-los progredir. Nessa fase é que se pode reformar os caracteres e reprimir as más tendências. Tal o dever que Deus impôs aos pais, missão sagrada de que terão de dar contas. (1)

Quando a criança chegar a adolescência os pais já não terão a facilidade de educar e moldar o espírito para o bem almejado superando seus defeitos.

Na idade infantil os pais devem ter atenção redobrada com os filhos, conhecendo-os suas características, seus defeitos e qualidades para incentivar e corrigir.

E uma das melhores maneiras de educar, está justamente na vivência conjunta dos pais, no lúdico educativo do lar, no brincar educando. As emoções criam laços indestrutíveis no ser. Quando os pais brincam com os filhos, eles estão dizendo para o filho implicitamente que eles o amam, e explicitamente devem aproveitar o momento para transmitir valores morais e éticos tão importante nos dias atuais.

É certo que o ato de brincar com os filhos, além de estarem educando-os, estão tornando seus filhos adultos sadios e confiantes em si mesmos afastando-os muitas doenças psicológicas.

Adultos depressivos, melancólicos, indecisos, com dificuldades de convivência e outros problemas podem ter suas causas originadas na infância. Pensemos nisso.

Abaixo uma entrevista de Divaldo Franco sobre família. Imperdível.

Referências

(1) KARDEC, Allan – Livro dos Espíritos.  Rio de Janeiro. Federação Espírita Brasileira





Vamos começar uma revolução ?

14 11 2011

Bob Sinclair

Vamos começar uma revolução ? Mudar esse mundo ? Dando um pouco de Amor !

Não é nada fácil amar ao próximo incondicionalmente, não é nada fácil ajudar a um necessitado, não é nada fácil fazer qualquer tipo de caridade.

A sociedade capitalista em sua essência econômica promove sutilmente o egoísmo material de toda a sociedade. Dar é algo destruidor para as entidades que vivem do lucro. Comprar é a regra. E nessa onda individualista temos o afastamento das classes e obviamente a construção de paredes sólidas que afastam os seres humanos.

Mundos diferentes são criados a partir daí, chamadas de classes sociais.

Não que as relação economicas esteja totalmente erradas. O capitalismo promove a sustentabilidade econômica através do trabalho, o problema maior não é esse. Mas para começar uma revolução de amor é necessário muito mais do que vontade. É necessário conhecimento, mente aberta e quebra de paradigmas.

Jesus e muitos outros grandes iluminados estiveram na Terra plantando sementes que ainda não conseguiram fazer essa revolução. Poderia entrar no tema religião, mas nenhuma delas conseguiu promover uma revolução, no máximo momentos de amor fraternal das suas comunidades.

A revolução do planeta que Jesus nos pede em palavras simples, como “amar ao próximo como a si mesmos”, “amar aos inimigos” e “perdoar setenta vezes sete” –  não são praticadas. São comportamentos que revolucionariam o mundo. Simples assim.

Mas a sociedade em que vivemos não é nada simples. Vencer o mundo é missão para pouquíssimos diante do egoísmo mútuo implantado desde o nascimento.

Assim, vamos ouvir essa linda canção, e meditar sobre o significado do amor. Amar não é apenas gostar de alguém. Amar pode ser apenas respeitar. Amar pode ser apenas compreender. Amar pode ser apenas não pensar, não falar e não fazer o mal.

Tudo o que estamos praticando, desde os pensamentos, produzem reações. A Física evolui para níveis quânticos e ainda não conhecemos nem a terceira lei de Isaac Newton. O Conhecimento é a base de tudo. Temos que estudar um pouquinho, ler conteúdos diversos, aproveitar as chances boas.

Nessa Lei da Física, sabemos que toda ação promove reação em sentido contrário em mesma intensidade. Essa Lei rege toda a Natureza física dos movimentos. Semelhante a essa Lei, temos a Lei da Causa e Efeito, onde rege as relações de nossas vidas também.

Amar o inimigo é apenas repeitá-lo e não praticar o mal contra. Todo o mal que praticamos, seja pra quem for, estaremos colhendo de volta e sentiremos na pelo o que praticamos. É lógica pura.

Ninguém nasce com problemas de deficiência física ou na miséria absoluta a toa. Está evoluindo, superando e resgatando erros praticados no passado e seguindo em frente. Nunca estamos estacionados, mas crescemos com nossos erros e resgatamos eles. Contudo o momento atual é de não errar.

Mudar o modo de pensar, não praticar o mal em qual situação que for, e buscar sempre o bem é plantar uma vida de alegria, saúde e felicidade.

A luta é grande contra o egoísmo, contra nós mesmos, contra o modo de pensar da sociedade.

Mas cada um pode começar por si e pela sua família – educando, estudando e praticando caridade.

Vamos começar uma revolução ?

Cifra para Violão – Bob Sinclair – Give a Lill love

Em
Ooooooooooooh
C
Ooooooooooooh
F       Em       Am
Yea yea yeaa
C                Am
Ooooooh
G     C          G
Ooooh now

F       C
Now you and I
Em
Can get together
C       Am
Let us start a revolution
F
Change this world
C
To what it should be
Em
And forget all this confusion

F             Dm
We could live together
F               C
For the sake of love
Em
What are we fighting for
C    F
Oooh now
C              Dm      F       G
We could start heeling today

Em        Am   C        G
If we can just learn to give
Em          Am
Give a lil’ love
Em             G
You and I can change the world
Em          C
Live a lil’ love
Em
Make it beter if we try
G           Am
Show a lil’ love
Em
Let your love rain
G         C
Let it rain down on me

F                     Em
Now if we wait and do nothing
C
Then what about theur future
F                     A
How can we look in to there eyes
Em
And say we love our children
F              C
We can make it better
F        Em   C
Feel the love inside
Em
Forget foolish pride

Ooh yea
F                           G      C
I know that we can find the way
Em    C   G
If we can just learn to give
Am
Give a lil’ love
C
You and I can change the world
C
Live a lil’ love

Make it beter if we try
Am
Show a lil’ love

Let your love rain
D    C       G
Let it rain down on me
C
So let it rain

F
For the people
C
Let it rain

Shower me whit your love
F
Let it rain now
C
Let it rain

Em       C
And let the children sing
F                                  C           F
Around the world you feel the love that we say hey
C
Around the world we say make a better day
F
Around the world we feel the love that we say hey
C                       Em            C
Around the world we say make a better day
F
Around the world we feel the love that we say hey
C
Around the world we say make a beter day
F
Around the world we feel the love that we say hey
C
Around the world wa say make a beter day

Em                      G
Come on come on come on yea
Am
Give a lil’ love
G          C
You and I can change the world
C
Live a lil’ love
C
We can make it happen
Am
Show a lil’ love
G
Let it rain
C                G
Let it rain down on me
F
Let it rain
C
So let it rain
Em
For all the people
C
Let it rain
F         C         G
So let it rain





Insensato coração e outras novelas insensatas

10 07 2011

A televisão proporciona um meio de informação de altíssima qualidade e penetração. Indiscutivelmente somos de certa forma presenteados com uma gama de informações de qualidade ou não.

Devemos assim obviamente filtrar toda a programação e dentro das escolhidas monitorar sua qualidade com uma crítica apurada, principalmente quando jovens também assistem.

As novelas são fontes de distração sem dúvida. Dispor de tempo para ocupar a mente com acontecimentos irreais pode soar estranho para muitos, mas para maioria perder três a quatro horas por dia assistindo novelas é algo prioritário.

Penso assim no lado positivo, onde a novela pode servir para ocupar a mente em algum tipo de atividade, para levar conhecimento, mostrar como funciona outras culturas, exemplificar, motivar e realizar novas propostas para o bem…

Infelizmente muitos autores entram em temas sensacionalistas, violentos, sem falar nas tradicionais brigas, algumas mortes e cenas de sexo é claro.

Faz parte do livre arbítrio…

Infelizmente para uma empresa que já produziu a obra Escrava Isaura e Caminho das Índias, certas produções atuais são vergonhosas.

Falta de inspiração? Muitas obras do Chico Xavier como o romance “A 2000 anos” daria um banho de conteúdo e cultura em qualquer montagem existente.

Em outros canais mais populares, em dias de final de semana principalmente, nos deparamos facilmente com a vulgarização da mulher em programas com temática infantil nessas escolinhas da vida, dentre outras aberrações.

Enquanto isso manter a televisão desligada é uma ótima opção nesses momentos para que pai e mãe possam conversar, quem sabe, brincar com seus filhos ou com vizinhos em atividade construtiva e criativa. E os jovens possam desde já treinar a criatividade com atividades como a pintura, música, desenho, escrita,… mas bem longe da TV.

——————–

Relacionado com

https://joanadarc.wordpress.com/2008/12/16/seguranca-no-lar/





Cuidado com as reclamações e lamentações

10 05 2011

Reclamar é algo que deve ser muito refletido.

Não devemos deixar de lado oportunidades de interferência corretiva. É nosso dever moral ter a caridade de tentar corrigir alguma situação ou alguém que incorre em erro.

Também não devemos deixar ser lesados e não buscar algum tipo de medida de ressarcimento ou de justiça.

Mas em nosso dia-a-dia é comum existir uma insatisfação com muitos acontecimentos e com o próprio indivíduo. Mesmos sabendo que ninguém é perfeito a sociedade exige que sejamos bonitos, ricos, bem sucedidos e com um vasto histórico de viagens para contar vantagem.

Devemos assim antes de mais nada saber que muitos impedimentos que temos para a riqueza, muitos traços fora do padrão de beleza da sociedade, muitos dos fatos que nos prendem a pessoas problemáticas são reações que estamos colhendo de atitudes nossas em vidas passadas.

E não só colhendo, mas cumprindo nossos carmas, assim posso dizer.

Da mesma forma como nascemos com dons e qualidades, com intuições e aptidões em determinadas áreas, também nascemos com más  tendências , todas produzidas pelas vivências em tempos anteriores.

São traços lógicos que cada um de nós apresenta pelas vivências em nossas vidas anteriores – e assim podemos sentir a verdade da reencarnação em nós mesmos.

Alguns ainda nascem com deficiências físicas ou mentais devido a algo mais grave  praticado anteriormente. Mas não devemos nos martirizar tentando descobrir o que se praticou. O mais importante nesses casos é  ter a satisfação da certeza da quitação do praticado nessa vida.

Porém familiares e o próprio indivíduo tentem a reclamar da posição social, da falta de recursos materiais, da deficiência intelectual, e das restrições que a vida lhe proporcionou.

Com esse conhecimento, devemos assim nesses momentos de angústia relativo a situações imutáveis, saber que estamos quitando dívidas, pagando prestações carmáticas de nossas próprias ações em vidas anteriores. Isso é o mais importante. O sofrimento que não podemos fugir é assim – aquele mal que praticamos em vidas anteriores sendo perdoado já.

Pode levar uma vida inteira de sofrimento, mas com fé em Deus no cumprimento de toda essa jornada com alegria e gratidão estaremos todos livres para uma vida melhor no plano espiritual e nas próximas reencarnações.

Finalmente digo ainda que as reclamações nesse caso, mesmo quando estamos sozinhos, dificulta a quitação da dívida. A ira, raiva, não aceitação da realidade, e todas as ações negativas decorrentes dessa fuga prejudicam ao próprio indivíduo acentuando ainda mais a dor nessa vida e em vidas futuras.

É claro que devemos sempre nos esforçar para ser melhores a cada dia, superando a pobreza, cuidando da beleza e saúde, tendo lazer e buscando a felicidade. Não é por saber dessa natureza dos fatos que vamos ficar estagnados sofrendo parados. A falta de ação no bem próprio e da sociedade é uma ação negativa que praticamos.

Portanto, diante da dor inevitável vamos refletir em nossas ações com fé no futuro por ter superado mais um obstáculo – geralmente criado por nós mesmos anteriormente – e buscar sempre uma atitude mental positiva mesmo diante da sofrimento. E claro com a prática do bem que ilumina e perdoa.

Muitas dessas atitudes de lamentos são produzidas inconscientemente pela vaidade que todos temos. Abaixo deixo um texto retirado da obra Reforma Íntima organizada por Daise Mariza F. Leal do site Espiritismogi sobre vaidade. Mais abaixo uma Palestra Espírita de Mariangela sobre Vaidade que achei bastante interessante.

A VAIDADE É DECORRENTE DO ORGULHO, E DELE ANDA PRÓXIMA. DESTACAMOS AS SUAS FACETAS MAIS COMUNS:

Apresentação pessoal exuberante (no vestir, nos adornos usados, nos gestos afetados, no falar demasiado);

Evidência de qualidades intelectuais, não poupando referências à própria pessoa ou algo que realiza;

Esforço em realçar dotes físicos, culturais ou sociais com notória antipatia provocada aos demais;

Intolerância para com aqueles cuja condição social ou intelectual é mais humilde, não evitando a eles referências desairosas. Aspiração a cargos ou posição de destaque que acentuem as referências respeitosas ou elogiosas à sua pessoa;

Não reconhecimento à sua própria culpabilidade nas situações de desentendimento diante de infortúnios por que passa;

Obstrução mental na capacidade de se auto-analisar, não aceitando suas possíveis falhas ou erros, culpando vagamente a sorte, a infelicidade imerecida, o azar.

O vaidoso o é, muitas vezes, sem perceber, e vive desempenhando um personagem que escolheu. No seu íntimo é sempre bem diferente daquele que aparenta, e, de alguma forma, essa dualidade lhe causa conflitos, pois sofre com tudo isso, sente necessidade de encontrar-se a si mesmo, embora às vezes sem saber como.

 COMO COMBATER A VAIDADE? Com reflexão, análise tranqüila, para nos aprofundarmos até as raízes que geraram aquelas deformações, ao mesmo tempo que precisamos identificar nossas características autênticas, nosso verdadeiro modo de ser, para então nos despir da roupagem teatral que utilizávamos e colocando-nos amadurecidamente, assumindo todo o nosso íntimo, com disposição de melhorarmos sempre.