Como ser feliz? Dicas do plano Espiritual para sermos felizes nesse mundo !

20 08 2014

(Allan Kardec Pergunta)

_ A felicidade terrena é relativa à posição de cada um; o que basta à felicidade de um faz a infelicidade de outro. Existe, entretanto, uma medida de felicidade comum a todos os homens?

(Espírito da Verdade Responde)

– Para a vida material, é a posse do necessário; para a vida moral, a pureza da consciência e a fé no futuro.   (Livro dos Espíritos, pergunta 922)

 

Vida Material – Para muitos, esta parte da vida é absolutamente tudo. A posse do necessário, não significa viver na miséria, ou ter apenas o que comer. Nos dias de hoje, nossas escolhas contra a vaidade e a aparência pode simplesmente já atender a esse conselho do plano espiritual. Combater o capitalismo, no sentido de ter posses de bens, mas sem extravagância – já é um bom começo. Afinal por quê ter um automóvel que custa duzentos mil reais, se um de cinquenta mil atenderia da mesma maneira o transporte com segurança.Contudo o homem busca não apenas o material, o necessário, mas almeja marcas, modelos, e vaidades de todos os tipos. A aparência e o status trazido pela posse do supérfluo é o grande mal do capitalismo. Enquanto muitos passam necessidades, não tendo comida para a semana seguinte, outros gastam rios de dinheiro com animais de estimação, com bijuterias, até mesmo com operações estéticas para uma tentativa de congelar o corpo físico que já não está mais perfeito para a sociedade e para as roupas que ela desenvolve. A caridade material é justamente a arma que temos contra o supérfluo. Que tal escolher o necessário que atenda realmente ao uso do produto e a diferença que se pagaria pela vaidade fosse doada a uma instituição de caridade séria ?

Pureza da consciência – Muitas pessoas, se deixam levar pelos pensamentos negativos e são capazes de praticar até mesmo crimes, seja contra outrem ou contra a si mesmo. Viver sempre se questionando das consequências dos nossos atos parece ser algo tão básico, porém muitos se deixam levar pelas tentações e provas que a vida dispõem. A juventude principalmente deve estar atenta as ciladas da vida, aditivadas pelo consumo de bebidas alcoólicas – algo tão normalizado pela sociedade. A busca por sempre se aproveitar das situações para levar vantagem em tudo é outra tendência que leva indivíduos a perder sua pureza. Poder deitar na cama no fim do dia e não se lembrar de nenhuma de nossas ações que tenha prejudicado alguém é seguramente uma bênção de felicidade que só que perde sabe. Contudo, como diz Chico Xavier através de psicografia “embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.”

Fé no futuro – Toda causa gera efeitos no futuro. Assim, quando praticamos ações no presente, o surgimento de reações no futuro é uma lei da natureza. Como nos diz Chico Xavier em psicografia – “Faça sempre o melhor que puder, e o melhor surgirá!”. Com essa fé em nossas ações acabamos por aumentar a vigilância, pois obviamente que ações negativas que prejudiquem alguém, irá com certeza nos prejudicar um dia. A vida é plantar e colher! Ninguém planta erva daninha e colhe frutas. Nós criamos nossa vida futura a cada instante de vida presente. Ajudar ao próximo é semear felicidade para nós mesmos. A ganancia e posse do supérfluo é semear necessidades materiais para nós mesmos no futuro.

Faça sua escolha ! E que seja a felicidade !

 

 

Download do Livro dos Espíritos

Anúncios




A Felicidade não é desse mundo.

9 05 2013

Hoje meu pai me perguntou por que eu estava triste…

Na realidade não estava triste, mas também não estava eufórico. E lembrei Jesus …. A felicidade não é deste mundo….

…e me remetendo ainda a outro pensamento…

O papel mais pesado é sempre aquele que se reserva aos heróis e aos santos, porque esses atores infelizes vivem cercados pelas exigências do teatro inteiro, embora, no fundo, seja também personalidades frágeis e humanas !

Em minha vida pequena diante dos grandes heróis procurei a felicidade, primeiro com a família, na busca nas necessidades, comida farta, carro, eletroeletrônicos, casa bonita, bens. Nessa busca por essa felicidade familiar e material levantamos muros altos e com cercas elétricas…

Felicidade requer tempo e dedicação como tudo nesse mundo, pensei.

Assim, acho que equilíbrio é o foco e o desafio nessa peça principal dessa vida passageira. Mas como isso é difícil no mundo atual!

Depressão, mesmice, irritação, tédio, simples falta do que fazer…

Tudo isso provoca um estado de infelicidade. Aliado ao consumismo dos dias atuais, com as promoções via e-mail e sites de compras coletivas, a felicidade pode ser transformada em bens materiais muito facilmente. Contudo ao se adquirir o bem quase que imediatamente outro objeto passa a ser almejado…

E para que esse motor consumista possa dar vazão aos nossos desejos materiais começamos a trabalhar em outro emprego, acumulando jornadas abusivas.

Se isso está errado, onde está portanto a felicidade?

Socialmente temos grandes fontes de felicidade. No trabalho, no lazer, na prática de atividades físicas, no convívio com as pessoas da família e amigos, nos estudos.

Qualquer um pode assim ter fontes de momentos felizes. Mas chega no domingo a noite casado e com a rotina pesando,  sinto que esses ótimos momentos ainda não é a felicidade.

Um certo filósofo diz que a felicidade é não sentir dor.

Isso poderia ser até verdade no passado, mas nos dias atuais, muitos não sentem dor e entram em estado de depressão infeliz.

Seria então outro grande ponto de felicidade o desenvolvimento da vocação e realização do trabalho?

O trabalho é lei divina. Estar fazendo o que gosta ou pelo menos buscando e trabalhando hoje para a realização futuro é essencial. Quando se trata de trabalho não há sonho impossível, apenas persistência.

A vida é muito curta para ser pequena ! E desperdiçá-la em atividade improdutiva certamente trará infelicidade futura.

Contudo, conseguir trabalhar no emprego dos sonhos pode ser algo utópico. Nesses casos talvez possamos transformar os sonhos profissionais em hobby.

Mesmo assim, com a rotina, o que era emprego dos sonhos acaba se tornando uma diversão rotineira e monótona. Muitos entram num espiral de mudança de empresas para buscar novos desafios que nunca acabam. E mesmo em trabalhos emocionantes e duradouros, o tempo passa e envelhecemos.

Onde está a felicidade plena?

Fazendo algum tipo de caridade tive também momentos de muita felicidade. Mas também não podemos deixar a família de lado e o trabalho para viver para a caridade.

Percebo então, obviamente, que temos momentos de felicidade em muitas situações, porém são em sua maioria passageiras. Ter uma felicidade constante é um desafio talvez impossível neste momento.

Sendo assim, a felicidade plena realmente não é deste mundo. Neste mundo temos momentos felizes, certamente por ainda morarmos num planeta de provas e expiações. Aliado a esses momentos, podemos ter mais sensações de felicidade na paz de fazer sempre o que é certo com equilíbrio em tudo. Tendo ainda o cuidado de não confundir sensações de felicidade com egoísmo.

E nenhum conselho parece ser mais útil na busca da felicidade do que – “Ame o próximo como a ti mesmo.”

E ainda a resposta do Mestre na pargunta 922 de Allan Kardec:

922 A felicidade terrena é relativa à posição de cada um; o que e suficiente para a felicidade de um faz a desgraça de outro. Há, entretanto, uma medida comum de felicidade para todos os homens?

  R:   – Para a vida material, a posse do necessário; para a vida moral, a consciência pura e a fé no futuro.

E com você, onde está a sua felicidade verdadeira nos seus dias ?