Carlos Juliano Torres Pastorino e sua obra prima proibida

13 05 2010

Quem nunca entrou em contato com alguma obra do Pastorino, como a série “Minutos de Sabedoria” ?Abaixo uma pequena biografia desse grande Espírito:

“Filho de José Pastorino e sua esposa, Eugênia Torres Pastorino, estudou no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro onde, em 1924, recebeu os diplomas de Geografia, Corografia e Cosmografia, e pouco depois, o de bacharel em Português.

Foi para Roma a fim de cursar o Seminário, vindo a diplomar-se, em 1929, pelo cardeal Basilio Pompili, para a Ordem Menor de Tonsura. Ordenou-se em 1934. Em 1937 ante a recusa do Papa Pio XII em receber o Mahatma Gandhi em seu traje habitual decidiu abandonar a batina, raciocinando que o célebre pacifista indiano vestia-se como Jesus, e que, como este jamais se sujeitaria ao rigor formalista da Igreja Católica.

De volta ao Brasil, lecionou Latim e Grego no Instituto Ítalo-Brasileiro de Alta Cultura. Lecionou ainda Espanhol. Nesse período começou a exercer atividades jornalísticas, como correspondente dos Diários Associados. Foi adido cultural e jornalístico da Academia Brasileira de Belas Artes.

Sócio de inúmeras sociedades esperantistas, no país e no exterior, foi delegado especializado (“Faka Delegito”) da Universidade Esperanto Asocio, com sede nos Países Baixos. Nessa militância, foi fundador da Sociedade Brasileira de Esperanto, no Rio de Janeiro.

No dia 31 de maio de 1950, concluiu a leitura de “O Livro dos Espíritos”, que recebera por empréstimo de um colega do Colégio Pedro II. Nessa data declarou-se espírita, e guardava-a com muito carinho. Passou a freqüentar o “Centro Espírita Júlio César”, no bairro do Grajaú, que foi a sua escola inicial de Espiritismo.

Em 8 de janeiro de 1951, com um grupo de amigos, fundou o “Grupo Espírita Boa Vontade”, posteriormente renomeado como “Grupo de Estudos Spiritus” que, com a ajuda do coronel Jaime Rolemberg de Lima, deu origem ao Lar Fabiano de Cristo, à CAPEMI e ao boletim espírita SEI (Serviço Espírita de Informações). Fundou a Livraria e Editora Sabedoria e a revista com o mesmo nome. Realizou palestras sobre a doutrina não apenas no estado do Rio de Janeiro como em outros no país.

Chegou a projetar a construção de uma Universidade Livre, em Brasília, para onde se mudou em 1973 mas faleceu antes de ver concretizado esse sonho.

Pastorino teve cinco filhos, de dois casamentos.” Fonte: Wikipédia

O mais interessante contudo, com os anos de estudos espíritas, foi a publicação da obra “Técnicas da Mediunidade” – uma semente plantada – para que “a capacidade do ser humano entrar em contato com os espíritos” seja estudada de forma científica. Tratando de uma verdadeira obra prima de estudos sobre a natureza humana ainda desconhecida por muitos com bases em conteúdos da teoria física e biológica atual.

Uma obra de tamanha importância que não poderia tão facilmente ganhar público – publicada em 1968 teve as edições póstumas proíbidas por forças naturais negativas que acham alimento nas portas abertas do preconceito que todos temos.

Contudo sua obra é facilmente acessível via download na internet, no link abaixo, por exemplo, e em milhares de outras fontes de troca de dados. Já se foi o tempo em que os livros eram queimados em praças públicas, a internet é democrática bastante para nos ajudar e eternizar fontes importantes como essa:

http://autoresespiritasclassicos.com/Pastorinho/Tecnicas%20da%20Mediunidade/Torres%20Pastorino%20-%20A%20Obra%20-%20T%C3%A9cnica-da%20Mediunidade.htm

Certamente o Autor aguarda os estudos mais profundos de ordem científico – técnico que devem ser trilhados em suas bases sugestivas dessa grande obra.

Abaixo uma passagem em audio dos “Minutos de Sabedoria”: