Mecanismos do Perdão.

18 07 2008

Um dos ensinamentos de Jesus menos compreendidos e talvez um dos mais importantes para a evolução espiritual é o PERDÃO.

O perdão nos liberta de nossos ofensores. O perdão nos liberta de obsessões. O perdão é combustível de alta qualidade para nossa evolução espiritual.

Vejamos bem – como numa grande produção cinematográfica, estamos sendo filmados o tempo todo. A cada segundo que passa todos os movimentos são gravados no tempo do universo. E pela lei da ação e reação temos…

“Lex III: Actioni contrariam semper et aequalem esse reactionem: sine corporum duorum actiones in se mutuo semper esse aequales et in partes contrarias dirigi. (A toda ação há sempre oposta uma reação igual, ou, as ações mútuas de dois corpos um sobre o outro são sempre iguais e dirigidas a partes opostas.)” Isaac Newton

Assim também ocorre em nossas relações pessoais pela lei da Causa e Efeito, toda prática tanto negativa quanto positiva receberá de volta uma reação em nós mesmos.

A Doutrina Espírita nos trouxe diversos casos de ações desastrosas, como assassinatos, roubos, corrupção, revelando o que ocorreu com o indivíduo que praticou essas ações após sua morte física.

Em todos os casos, ficam gravados no “filme” do universo as práticas de cada um. E como uma bola que lançamos para o alto, pela lei da gravidade irá cair, assim também pela lei universal da causa e efeito iremos resgatar todo o mal que fizemos nem que seja em uma vida futura. O mal que se pratica volta como ações do mal, o bem volta como ações do bem sobre nós, uma compensando a outra.

Assim, como condição de agressor ou praticante de um mal, independente de serem perdoados ou não, por qualquer um que seja, a lei física do universo é impossível de ser apagada, pois está gravada no tempo. O final desse “filme” só mudará para um “final feliz” se o agressor se arrepender e praticar ações positivas o bastante para anular sua má ação. Daí a função dos Padres e Pastores numa confissão. Eles deveriam auxiliar os seus fieis estimulando-os a praticarem boas ações suficientes para quitarem suas dívidas. Infelizmente muitos confundem boas ações com sacrifícios físicos individuais – o que não leva a lugar algum no alcance do verdadeiro perdão.

E por isso no Espiritismo não existe o “perdão” por palavras. O alcance do perdão para quem pratica um mal é aprendido pelos estudos da Doutrina Espírita. Assim aprende-se, que o verdadeiro perdão depende apenas de nós mesmos – pois devem ser alcançados pelas ações na prática do bem e da caridade para contrabalançar e resgatar o mal feito.

“Quem achar a sua vida perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim achá-la-á.” – Mateus 10:39

Ainda assim, temos o caso da situação da vitima, pois se ela não perdoar provavelmente estará ligado ao seu ofensor numa próxima etapa ou numa vida futura para reparação, podendo inclusive se tornar um agressor caso busque a vingança ou o revide imediato – se comprometendo no “filme” da vida igualmente ou até pior do que o seu agressor. Realmente é muito complexo a situação para explicar em poucas palavras…

Então é normal muitas dúvidas surgirem…

Como educar um filho que recebe um agressão física na escola do seu colega?

Como agir diante de uma violação física de maior intensidade?

Como deve proceder o profissional da segurança pública que lida com bandidos fortemente armados? (…)

Resposta difícil, contudo para nos auxiliar em nossas reflexões, temos o exemplo de Jesus – que diante dos soldados agressores na hora de sua prisão não só impediu que seus discípulos usassem a violência, mas ainda curou um soldado “inimigo” ferido… Assim venceu o mundo…

50 – Jesus, porém, lhe disse: Amigo (jUDAS), a que vieste? Nisto, aproximando-se eles, lançaram mão de Jesus, e o prenderam.
51 – E eis que um dos que estavam com Jesus, estendendo a mão, puxou da espada e, ferindo o servo do sumo sacerdote, cortou-lhe uma orelha.
52 – Então Jesus lhe disse: Mete a tua espada no seu lugar; porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão.
53 – Ou pensas tu que eu não poderia rogar a meu Pai, e que ele não me mandaria agora mesmo mais de doze legiões de anjos?
(…)

Portanto não devemos em hipótese nenhuma retribuir violência com violência. Todo e qualquer ato de violência que produzimos, seja para quem for, até mesmo um bandido – estaremos nos comprometendo na lei da ação e reação. Por isso Jesus diz com tanta clareza nesse momento de conflito em sua prisão – todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão. É a lei da ação e reação. Quem mata grava na lei do universo um ação nessa vida onde a reação será sua morte numa vida futura. Mais clareza nas palavras de Jesus do que isso, para aquela época onde não existia conhecimentos sobre as leis da física, é impossível.

Que possamos refletir sempre em nossas ações do passado, buscar corrigi-las com ações produtivas no futuro para o bem comum e assim subir mais um pequeno degrau em nossa evolução Espiritual.

“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.” Chico Xavier em psicografia.

Talvez quem não tenha contato com o Espiritismo possa entrar em conflito com ideias enraizadas. Nesse caso sugiro a leitura do “Livro dos Espíritos” onde foi codificado a base da Doutrina para poder analisar com mais cautela todas as revelações que o Espírito da Verdade nos trouxe. Afinal o Espiritismo é uma mensagem de Jesus para todos.

Bons pensamentos e ações para o bem !

Referências:

– “Livro dos Espíritos”. codificado por Allan Kardec.

– “Bíblia”. Livro do apóstolo Mateus.

– “Lindos Casos de Chico Xavier” de Ramiro Gama.

– Wikipedia. Terceira Lei de Isaac Newton.